Especialista em aviação comenta tragédia com Chapecoense

Especialista em aviação comenta tragédia com Chapecoense

Um acidente na madrugada desta terça-feira (29) vitimou quase toda a delegação da Chapecoense que ia até Medellín (COL) para a disputa do primeiro jogo da final da Copa Sul-Americana e deixou o esporte mundial em luto. A lista de passageiros contabilizava 81 pessoas a bordo da aeronave, mas quatro não embarcaram no voo. Não há confirmação se outras pessoas embarcaram no lugar delas.

Até agora, 72 corpos foram resgatados e contabilizados apenas seis os sobreviventes: os jogadores Jackson Follmann, Alan Ruschel e Hélio Zampier Neto, o jornalista Rafael Henzel, o técnico da aeronave Erwin Tumiri e a comissária de bordo Ximena Suarez. O Goleiro Danilo Padilha, ídolo da equipe, chegou a ser resgatado com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

O jornalista Daniel Monteiro conversou com James Rojas Waterhouse, especialista do Departamento de Engenharia Aeronáutica da Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP, que analisou o acidente e algumas particularidades dessa tragédia.

Compartilhar