Programação “Sem Rosa. É Choque” do Sesc São Carlos mostra a resistência e o empoderamento feminino

Escrito por em 29/02/2016

Num mundo historicamente dominado por hábitos e costumes conservadores, as mulheres superaram e continuam a ter que superar as velhas amarras opressoras. A programação do “Sem Rosa. É choque!” apresenta a luta, resistência e o empoderamento de mulheres que por meio da arte romperam estereótipos de gênero e barreiras culturais: históricas, de etnia, religião e classe social.

Bate-papo

Ser mulher em pauta: olhares para a superação da violência de gênero

Com Djamila Ribeiro, mestra em Filosofia Política (UNIFESP) e colunista da Carta Capital; Flávia Biggs, idealizadora do projeto Girls Rock Camp Brasil; e Raquel Auxiliadora, professora na Prefeitura Municipal de São Carlos e uma das Promotoras Legais Populares da cidade

A discussão tem como ponto de partida os dados coletados pelo “Mapa da violência 2015: Homicídio de mulheres no Brasil”, pesquisa realizada pela Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais a pedido da ONU Mulheres, e relato de experiências que buscam reverter essa realidade por meio do empoderamento feminino, como o Girls Rock Camp Brasil, um acampamento musical exclusivo para meninas, com foco no fortalecimento da autoestima e quebra de paradigmas de gênero.

Dia 8, terça, às 20h.

Teatro. GRÁTIS. Retirada de convites no dia da atividade na Central de Atendimento. 14 anos.

Exibição

Empoderadas

Direção: Renata Martins e Joyce Prado. Brasil, 2015.

Documentários de curta duração protagonizados por mulheres negras das mais distintas áreas de atuação: artes, entretenimento, política e empreendedorismo, que falam dos desafios trazidos pelos preconceitos de gênero e pelo racismo que permearam suas trajetórias. Os 14 primeiros episódios do programa estã o disponíveis em uma videoinstalação ao longo do período de realização do projeto Sem Rosa. É choque!

De 4 a 20. Terça a sexta, das 13h30 às 21h30. Sábados e domingos, das 10h às 18h.

Área de convivência. GRÁTIS. 12 anos.

Shows

Fabiana Cozza (São Paulo/SP)

cozza2Partir

O quinto álbum da intérprete paulistana tem como inspiração a Bahia, um dos principais pontos de chegada dos povos negros ao Brasil. A partir de um mergulho na identidade brasileira, Fabiana estabelece conexões com terras africanas, portuguesas e ameríndias para falar sobre a dispersão africana pelo mundo e suas implicações sociais. O trabalho leva a assinatura do violonista Swami Jr. e tem a participação dos músicos Jurandir Santana (guitarra, violão e viola), Marcelo Mariano (baixo), Douglas Alonso (bateria e percussão) e Felipe Roseno (percussão). Com vinte anos de carreira, Fabiana Cozza é considerada uma das mais importantes intérpretes brasileiras da atualidade.

Dia 10, quinta, às 20h.

Teatro. 12 anos.

R$ 17,00 / R$ 8,50 / R$ 5,00

Divas do Hip Hop (São Paulo/SP)

Um espetáculo concebido para celebrar o universo feminino dentro da cultura hip hop. Participam do projeto grandes vozes femininas desse gênero, como Yzalu, Amanda NegraSim, Livia Cruz, Stefanie Roberta, Nathy MC, Karol de Souza e Cris SNJ Preta Feminina.

Dia 17, quinta, às 20h30.

Galpão. GRÁTIS. Retirada de convites com 1h de antecedência. 12 anos.

Tássia Reis (Jacareí/SP)

tassia_reis_por_larissa_isis

Com apenas um EP lançado e um videoclipe, seu rapjazz se espalhou pelo país e conquistou milhares de fãs por onde passou, também repercutindo em diversos veículos especializados. Nesse show, a cantora se apresenta com a banda Aeromoças e Tenistas Russas.

Dia 16, quarta, às 20h30.

Galpão. GRÁTIS. Retirada de convites com 1h de antecedência. 12 anos.

Intervenção

Mulheres entoaram tempestades

Com Grupo EngasgaGato (Ribeirão Preto/SP)

Uma intervenção. Uma dança. Um canto que atravessa as bocas e janelas fechadas do quarto cozinha banheiro sala cárcere e resiste. São mulheres. Seus corpos milagrosos, nascidos para a celebração, tropeçam na manchete do jornal: a cada cinco minutos uma mulher é agredida no Brasil. E caem. É deste

chão de ovos pisados que estas mulheres inventam uma outra maneira de re-existirem, levantarem-se

em contagem regressiva até que o alarme toque mais outra vez.

Dia 5, sábado, a partir das 10h.

Praça do Mercado Municipal. GRÁTIS. 12 anos.

Espetáculos

A brava

Com Brava Companhia (São Paulo/SP)

Acusada de bruxaria e queimada na fogueira, Joana d’Arc é considerada a heroína da Guerra dos Cem Anos, entre a França e a Inglaterra. Inspirado em seu mito, este espetáculo de rua propõe uma reflexão sobre o presente e o futuro. A saga da heroína é narrada de forma épica, valendo-se de vários recursos, como a música e referências à cultura popular. A partir desses elementos, o grupo cria situações cênicas que exploram o drama e o humor para construir paralelos com os dias de hoje.

Dia 9, quarta, às 16h

Praça do Mercado Municipal. GRÁTIS. 14 anos.

SerEstando Mulheres

Com Ana Cristina Colla (Lume Teatro – Campinas/SP)

Atriz, pesquisadora do teatro e feminista, Ana Cristina Colla investiga, por meio do corpo, personagens femininas que representou ao longo de sua trajetória. Para este trabalho, a atriz visitou pessoas, cidades, mestres, recantos metafóricos e reais. Entre encontros e confrontos, foi depurando seu fazer teatral e o ser mulher nessa sociedade. Um encontro forte e delicado com o feminino.

Dia 12, sábado, às 20h.

Galpão. 16 anos.

R$ 17,00 / R$ 8,50 / R$ 5,00

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA