Professora argentina ministra conferência sobre textos produzidos durante Ditadura Militar no país.

Escrito por em 21/03/2014

O Programa de Mobilidade Docente da Associação de Universidades do Grupo Montevideo (AUGM), o Programa de Pós-Graduação em Linguística (PPGL) da UFSCar, o Laboratório de Estudos do Discurso (LABOR) e o Projeto Contribuinte da Cultura recebem, no dia 26 de março, a professora María Alejandra Vitale, da Universidade de Buenos Aires (UBA), Argentina, para a conferência “comunidades discursivas y archivos de la represión”.

O evento trata de um estudo retórico e discursivo de textos produzidos por aparelhos de controle e vigilância da Argentina durante o período de sua Ditadura Militar. O que e como falam os agentes repressores de si mesmos e daqueles que então ousavam afrontar o regime autoritário argentino? Como são construídas ali as comunidades discursivas com as quais se busca tanto a identificação quanto o distanciamento e a estigmatização? A conferência da professora Vitale propõe-se a responder a essas e a outras questões; respostas que nos permitiram conhecer de forma mais aprofundada aspectos do passado recente dos países vizinhos, mas que também podem dizer respeito à nossa própria historia.

VITALE

María Alejandra Vitale é professora adjunta da Cátedra de Semiologia e professora chefe de trabalhos práticos em Linguística Interdisciplinar e em Sociologia da Linguagem da UBA. Possui Licenciatura em Letras e Doutorado em Linguística pela UBA e Pós-doutorado em Linguística pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A conferência acontece no Espaço 7, localizado na rua Sete de Setembro, 1.441, no centro de São Carlos, no dia 26 de março, às 10 horas. Não é necessário realizar inscrição prévia e os participantes receberão certificados. Mais informações podem ser obtidas no PPGL, pelo telefone (16) 3351-8360.


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA