Número de mortes em acidentes de trânsito cresce em São Carlos

Escrito por em 21/05/2018

Número de mortes em acidentes de trânsito cresce em São Carlos

O número de mortes em acidentes de trânsito cresceu em São Carlos. Em 2016, foram 25 mortes. Em 2017, 29 pessoas morreram na cidade vítimas de acidentes de trânsitos. Em 2018, cinco pessoas morreram apenas nos três primeiros meses do ano. Embora, em 2017, o número de acidentes tenha caído, já que em 2016 foram 2.517 e no ano seguinte 2.208 acidentes, o número de mortes chama atenção.

Os dados foram apresentados pela Prefeitura de São Carlos em um evento sobre Mobilidade Urbana. Segundo os especialistas, um dos problemas para o aumento no número de acidentes foi o crescimento da frota. Em 2005, eram 41 veículos por 100 habitantes, em 2017, os números chegaram a 71, adição de 72%.

Para reduzir índices de acidentes, a Secretaria de Transporte e Trânsito está investindo em engenharia, fiscalização e educação. “Estamos desenvolvendo vários projetos para melhorar o trânsito em São Carlos. Vamos trabalhar na região da Praça Itália, da Escola Jesuíno de Arruda, avenida José Pereira Lopes com Henrique Gregori, no Mercado Municipal e no Calçadão. Todas essas intervenções estão sendo planejadas, já está em andamento a implantação de mão única em algumas ruas e semaforização de vários cruzamentos”, afirmou o secretário de Transporte e Trânsito Coca Ferraz.

Para a professora da UFSCar e engenheira civil, Tais Guerreiro, São Calos precisa avançar na mobilidade. “São Carlos enfrenta hoje, vários problemas. A licitação do transporte tem que ser realizada de uma vez, é preciso melhorar a infraestrutura cicloviária e urbana, desenvolver ações pontuais, rápidas de serem feitas, ações tanto no nível micro, como no nível macro”, afirmou a docente.

Na ocasião, também começou a ser discutida a criação do Conselho de Mobilidade, que será um espaço propício para a participação e o controle social da ação da mobilidade na cidade. Entre as suas funções estão: opinar, acompanhar e participar da elaboração das políticas públicas de trânsito e transportes, encaminhando sugestões e apresentando as demandas sociais nessa área.

“A criação do Conselho está prevista no Plano de Mobilidade, que é uma obrigação para municípios com mais de 20 mil habitantes. São Carlos nos últimos anos explodiu a frota de veículos e ficou difícil andar em algumas regiões. Então é preciso melhorar os deslocamentos de todo mundo. É preciso ter políticas públicas baseadas no plano de mobilidade. A cidade precisa trabalhar seu plano com pesquisas que apontam a realidade do município”, contou a professora da UFSCar e engenheira civil, Tais Guerreiro.

O Movimento Transporte Justo também participou do evento. “A criação do Plano é sinal que a mobilidade é uma questão para a cidade e só a partir dele efetivamente será possível pensar políticas mais integradas e de forma articulada. Se a gente não tem uma política de mobilidade, as pessoas não tem acesso ao trabalho, escola, cultura, por exemplo. E é preciso que a sociedade participe ativamente dessa criação. Para que a gente possa ter uma política que efetivamente garanta uma cidade melhor para as pessoas”, afirmou Paulo Tauir, integrante do Movimento do Transporte Justo.

O próximo passo para a criação do Conselho de Mobilidade é reunir os interessados e dar início as discussões para a elaboração do projeto de lei. Confira mais informações no Podcast do Rádio UFSCar Notícias – edição da manhã de 21 de maio.


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA