7º QUÃO NEGROS SOMOS

Escrito por em 24/11/2016

Pela importância cotidiana do reconhecimento das culturas de matriz africana, a Teia – Casa de Criação apresenta um calendário composto por celebrações, reflexões e aprendizados com os saberes da afro-brasileiros. Iniciando nesta sexta dia 25, o evento é composto por diversas atividades que acontecem na Rua Rui Barbosa, 1950 (próximo ao Tiro de Guerra). As inscrições podem ser feitas pelo facebook.com/teiacasadecriacao ou pelo e-mail teia@teia.org.br. Mais informações pelo telefone 16 3414-7110 Confira a programação completa:

25/11 sex – 19h CineTeia com exibição do documentário “Menino 23”.
Sinopse: Uma pesquisa sobre tijolos marcados com a suástica nazista, encontrados no interior do Brasil, revelam a história de meninos órfãos e negros, vítimas de um projeto criminoso de eugenia. Aloizio Silva, privado de usar seu nome torna-se o menino 23. Como sobrevivente, nos conta esse relato devastador. Direção: Belisário Franca.
entrada livre

03/12 sáb – 16h Dia do Samba com Samba do Tio Pê
Venha comemorar dançando o dia do samba! O grupo traz um ótimo repertório com  samba de velha guarda e as fortes influências de Padeirinho, Geraldo Pereira, Cartola, Nelson Cavaquinho, Monarco dentre outros tantos. Haverá cerveja artesanal e quitutes.
entrada $10

09/12 sex – 19h Chinela Baixa convida Quebra Coco
O grupo de samba de coco Chinela Baixa faz a última sambada de 2016 na Teia – Casa de Criação. Convidam para somar no som o grupo Quebra Coco, formado por Dinda Salú, Emerson Santana e Paulinho Ogan, o grupo Quebra Coco traz o forró de rabeca, maracatu, samba de coco e cavalo marinho com o axé e a musicalidade de pernambucanos nascidos e criados no berço das manifestações populares do estado.
entrada $15

10 e 11/12 – 10h às 16h Construção de tambor com Tata Orokzala
A oficina traz a técnica de conhecimento ancestral do opolo. Cada participante aprenderá com Orokzala o passo-a-passo das técnicas de construção do intrumento afro-brasileiro. Este tambor é feito de bojo de bambu, couro e afinação em cordas. Alguns momentos serão destinados ao aprendizado de toques tradicionais. A oficina tem um diferencial: os participantes ficam com o opolo que fabricaram!
Investimento $250 – inscrições até 05/12 e pagamento até 09/12.

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA