14 ª Mostra do Filme Livre faz circuito em Cineclubes de todo o país

Escrito por em 25/06/2015

São Carlos foi selecionada para exibir a sessão Curtas Livres da MFL

A Mostra do Filme Livre, maior vitrine de filmes independentes do Brasil, triplicou o número de Cineclubes selecionados para exibir a programação da MFL 2015, em comparação ao ano passado, que foi recorde.  Um total de 100 Cineclubes foram selecionados este ano, contra 33 do ano anterior. No Estado de São Paulo serão 13 salas de 9 cidades que exibirão 15 filmes cuidadosamente selecionados para agradar a uma plateia que deve superar os  1 mil expectadores.

A MFL buscou ampliar o interesse e o acesso ao cinema independente brasileiro ao firmar essa parceria com os Cine Clubes de todo país. Os cineclubistas vão assistir a sessão Curtas Livres. Detalhes e sinopses abaixo.

Cine Emancipa – Sessão Curtas Livres (EEPG Atília Prado Margarido – Rua Joaquim Augusto Ribeiro de Souza, s/n – Santa Felícia – São Carlos/SP. Dia: 11/07,  às 09hs);

 “Desde 2007 começamos a trabalhar a MFL no circuito de Cine Clubes. Esta Mostra é mais conhecida do público aficionado por cinema independente, anárquico. Portanto, para ganhar a confiança e interesse dos cineclubistas, que muitas vezes optam por uma programação mais comercial, precisamos percorrer um longo caminho. Parece que agora a MFL também ganhou o prestigio de cineclubistas abertos a novas experiências com a sétima arte. E isso é o que temos para oferecer, a experiência”, comenta Guilherme Whitaker, criador e um dos curadores da MFL.

A MFL 2015 estará também nos Cineclubes de Diadema, São Paulo, Campos do Jordão, Campinas, São Jose dos Campos, Sorocaba, Bragança Paulista e Sumaré.

Programação em São Carlos

A Mostra do Filme Livre preparou estas sessões, a partir da programação oficial de sua 14ª edição. São filmes livres de diferentes formatos e anos realizados por produtores de todo o país.

SESSÃO CURTAS LIVRES

– “Efeito Casimiro“, de Clarice Saliby, 2013, 15min, RJ.
Sinopse: 08 de março de 1980, 05h20min da manhã: 10.000 pessoas permanecem em silêncio olhando para o céu à espera de um disco voador vindo de Júpiter. Edílcio Barbosa, o mensageiro de Júpiter, havia anunciado a missão extraterrena alguns meses antes e, misteriosamente, o fato ganhou proporções internacionais. Uma história que mais parece filme de ficção científica aconteceu de fato no município de Casimiro de Abreu, Rio de Janeiro. A mídia cobriu amplamente o evento registrando a presença ostensiva do exército, toda estrutura montada pela prefeitura e a chegada de milhares de pessoas de diversas cidades do Brasil- e até do exterior- que transformaram o local em um Woodstock ufológico brasileiro.

– “Tigre”, de João Borges, 2013, 15min, MG.
Sinopse: Após a morte de Arnaldo Tigre, sua vida é reconstruída por um sobrinho através de fotos, cartas e outras memórias.

 – “Carros, carros, carros”, de Fernanda Almeida, 2014, 1min, RJ.
Sinopse: O outro lado do aumento da frota de veículos.

 – “O que se memora”, de Caio Dornelas & Ernesto Rodrigues, 2014, 10min, PE.
Sinopse: A memória vida do cinema morto.

 – “O Babado da Toinha”, de Julia Aguiar, André de Oliveira & Cauê Rocha, 2014, 3min, BA.
Sinopse: Toinha é uma baiana de acarajé pra lá de original e difícil de se encontrar parecida. Ela é quem faz seu próprio azeite de dendê, num processo rústico e artesanal, no qual mergulha com o espírito de Iansã, e que exige força pesada e muitos conhecimentos. Mas é daí que vem o sabor todo especial de seu acarajé, e pra quem conhece da comida sabe que um bom dendê faz toda a diferença. E dessa cultura popular tradicional, ela tira seu sustento. Sua banca está localizada na Vila de Serra Grande, Costa do Cacau, Sul da Bahia.

 Ela”, de Nivaldo Vasconcelos, 2014, 8min, AL.
Sinopse: “QUERIA QUE VOCÊ OLHASSE PARA ESSA FOTO, OLHASSE BEM E FALASSE SOBRE ELA. O QUE VEM NA SUA CABEÇA QUANDO VOCÊ VÊ ESSA MULHER?”

 – “Achados e perdidos”, de Camila Lamha, Guilherme Ferraz & Luisa Mello, 2014, 6min, RJ.
Sinopse: “Em busca de algo perdido, homem refaz o caminho de sua memória através das fotos de um natal passado”

 – “Geru”, de Fábio Baldo & Tico Dias, 2014, 23min, SP.
Sinopse: Em seu aniversário de 100 anos, Zé Dias decide confiar sua vida a uma câmera.

Classificação indicativa da sessão: Livre
Duração total da sessão: 81 minutos
Seleção de curtas livres para todas as idades.

Ingressos: entrada franca

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA