Suéteres – Rua Caetés

Escrito por em 07/02/2011

sueteres_ruacaetesPode chamar de Rock Caipira, Rock´n Roça, Viola Turbinada ou Música Caipira Contemporânea. Talvez, nem mesmo exista uma classificação para esse gênero. E é exatamente essa a condição da banda Suéteres, nascida em Pirassununga, uma cidade simpática no interior do estado de São Paulo, daí o porquê de caipira, roça e viola. A grande verdade é que o quarteto nos apresenta um som inclassificável. Claro que o rótulo da primeira impressão é a de uma banda Indie, o que não deixa de ser em algumas características; mas, basta ouvir, para perceber que se trata de uma banda de Rock Caipira, que absorveu suas referências cotidianas e sonoras para traduzir tudo em boa música.

E, ainda que se enquadre dentro desse chamado Rock Caipira, o trabalho está repleto de outras admiráveis influências como Strokes e Pixies. A banda sempre teve a intenção de produzir canções simples e sensíveis levando a frente essas influências, que têm o diferencial em si.

Os Suéteres criam e ensaiam suas músicas em uma casa alugada com amigos e numa das paredes da casa existe uma placa de rua, a “Rua Caetés”. Exatamente a placa que acabou batizando o primeiro álbum da banda, lançado no final de 2009, gravado no Estúdio Costella e produzido por Chuck Hipolitho. O trabalho – nosso disco da semana -, ainda que não seja um lançamento trouxe belos novos ares para o cenário da música brasileira, portanto, vale mais do que a pena ser comentado e enfatizado.

O baixista Hugo e o baterista Gabriel determinam com elegância e simplicidade a pulsação das doze músicas do álbum, já os guitarristas Igor e Lucas se complementam: o que o primeiro tem de técnica, o segundo tem de carisma, na voz e nas mãos.

A harmonia destas habilidades com as influências musicais da banda e a produção de Chuck resultam num disco sensível e moderno, sem soar pretensioso. As letras de “Rua Caetés” foram cuidadosamente tecidas e encaixadas nas músicas: sem hiatos silenciosos ou sílabas forçadamente prolongadas. O frescor sonoro é ressaltado por uma poesia quase que parnasiana, que traz um ar estranhamente belo, como nos versos “todo erro é um pertence” (em “Se For de Aplaudir”) ou “perde quem troca um hoje por dois amanhãs”, na delicada “Vale Se Jogar”.

Para entender melhor os Suéteres é preciso escutar primeiro “Dia Em Preto e Branco”, uma balada nervosa que cresce em intensidade em torno de dois versos principais – “eu cansei de gostar”, “eu gostei de cansar” – concluindo que “ainda tenho um par de histórias pra contar e meias pra aquecer”.

A lírica livre e, ao mesmo tempo, cotidiana e poética, traz muita personalidade para as doze faixas, principalmente, se ouvidas em sequência. Toda a sensibilidade e autenticidade de “Rua Caetés” nos dão um ar aconchegante e familiar, que merece ser aproveitado!

Sara Antonelli
Estagiária em Programação Musical
Rádio UFSCar

A seguir a lista das músicas que você ouve de segunda a sexta-feira, às 10h00, na Rádio UFSCar:

Segunda
1. E Há!
2. Fábula
3. Se For De Aplaudir

Terça
4. Prefiro Aqui
5. Do Meu Jeito

Quarta
6. Vale Se Jogar
7. Eu Já VI Pior

Quinta
8. Dia Em Preto E Branco
9. Céu

Sexta
10. Quem Dera
11. Antes E Depois
12. Um Pra Esperar

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA