STROBO – MAMÃE QUERO SER POP

Escrito por em 15/12/2014

“Música pop” é uma expressão que abre para interpretações diversas.
Como estilo, temos um nicho bastante consolidado recheado de intérpretes e bandas e completamente dominado pela ação das grandes gravadoras. São as ditas músicas comerciais, músicas que seguem fórmulas e são feitas para vender. Levando esse aspecto em consideração, “música pop” recebe uma conotação negativa, pois é feita como bem de consumo e deixa a desejar em termos criativos. Ao mesmo tempo, “pop” nada mais é que uma abreviação de “popular”. Música popular: música do povo, para o povo, música que faz sucesso entre um grande público. Nesse caso, qualquer estilo de música pode ser pop.

Do outro lado da moeda, temos a “música experimental”, que sofre o mesmo tipo de paradoxo do pop. Por um lado, ela assusta, a palavra “experimental” é muitas vezes interpretada como algo estranho, difícil de escutar e digerir, que foge completamente da noção musical mainstream; em outras palavras, “música cabeça”, só pra pessoas muito inteligentes que atingiram um nível de apreciação musical “einsteiniano”. Mas, assim como na ambiguidade do “pop”, o “experimental” nada mais é do que aquilo que experimenta. Música que adiciona elementos diferentes, bebe de outras fontes e procura fugir do padrão comercial e das fórmulas de sucesso, abrindo as portas paras novas possibilidades, mas sem necessariamente deixar de lado o apelo popular e a simplicidade.

Essa introdução nada mais é do que um jeito pouco sucinto de explicar do que se trata o novo disco do duo paraense Strobo, Mamãe Quero Ser Pop: uma mistura perfeita entre o experimental e o popular. Ao longo de sua carreira, o Strobo conquistou um público fiel com sua mistura muito particular de música eletrônica e música orgânica tradicional. O Brasil tem grandes nomes da música eletrônica que ousam, contra todas as regras da indústra, se apropriar das raízes culturais do país e fazer um som voltado para todos os públicos, evidenciando as fontes tradicionais. Aqui, podemos citar gente como RAPadura Xique-Chico, DJ Tudo, Curumin, Lucas Santtana, Space Night Love Dance Laser, entre outros, além da própria Strobo.

O nome Mamãe Quero Ser Pop é, inclusive, uma provocação aos fãs e críticos que encaram “pop” como algo negativo. A questão é que a Strobo adotou uma pegada mais pop, sim, mas sem nunca jamais de jeito nenhum deixar de lado aquele tempero que faz o som da banda tão especial, a experimentação com os ritmos tradicionais, o equilíbrio entre tecnologia e organicidade.

Diana Ragnole, estagiária em Programação Musical.

A seguir, a lista de músicas que vão ao ar de segunda à sexta, às 9h45:

segunda-feira
1.  Odisseia
2.  Nonsense
terça-feira
3 . Paranoia
4.  Latino
quarta-feira
5. Amazônia Bang Bang
6. Rafael Groove
quinta-feira
7. Ostentação
8. Mamãe Quero Ser Pop
9. Cumbia do Zumbi
sexta-feira
10. Minimal
11. Deja Vu
12. Despedida


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA