Rafael Castro – Um Chopp e Um Sundae

Escrito por em 11/03/2015

Imagine você: 27 anos nas costas, nove discos lançados e um visual que vai de salto alto e calça colada a unhas prateadas e cabelo tingido.

Diz a lenda que enquanto voltava de uma turnê na Europa, Rafael Castro sonhava que uma amiga próxima lhe dizia que sua música era tipo “música gata”. Se a história procede ou não jamais saberemos. O que sabemos é que o termo escolhido pelo jovem compositor, da pequena Lençóis Paulista (interior de SP) para definir seu novo som, é um sucesso. Sucesso este que, em 2015, leva o músico a não apenas dar as caras na nossa seção de discos da semana. Rafael simplesmente se escancara por completo e prova, mais uma vez, que música pop (não entenda isso como música comercial, veja bem) e bom humor nunca saem de moda, por mais relutante que você possa estar.

Parafraseando o próprio músico, Um Chopp e Um Sundae – nono disco de sua carreira – é muito mais “música pra quadril do que pra cabeça”. Esqueça tudo o que você já tenha ouvido desse cara, ou melhor, desapegue. Como Rafael  já disse em outra oportunidade, dessa vez ele  acaba de entrar para o seleto grupo da “traição do movimento”, velho bordão do chapa Dado Dolabella, para os mais esquecidos. Se antes era “punk caipira”, agora é “música gata”. Do passado, fica somente o bom humor e a finíssima produção musical, assinada pelo próprio compositor. Trabalho que, aliás, vem todo repaginado em beats eletrônicos, sintetizadores e melodias chicletes, como a boa traição do movimento pede.

Viabilizado por meio de financiamento coletivo, o álbum, apesar de pop, não deve nada a ninguém. O artista simplesmente não dá a mínima para os haters, e isso é parte fundamental do resultado. Com canções espertas como o single “Ciúme” e a nostálgica “Preocupado”, passando pela zueira com responsa, que conta com um recado direto aos fãs de Caetano Veloso e releitura eletrobrega de Raimundos, em “Aquela”, o disco é poesia escrachada do começo ao fim. O artista passa pelo que de mais descolado existiu nos anos 80, mais exagerado nos 90 e modernoso nos 00. Tudo isso sem o menor compromisso de te fazer gostar dele e sair por aí morrendo de amores pelo novo single do cantor.

Seja como for, a verdade é que poucos tem a coragem e o apelo de seu trabalho. É gratificante ver um artista como Rafael se arriscar, buscando a todo momento maneiras de se diferenciar daquilo que se tornou convencional no cenário independente, mesmo que por vezes o exagero não lhe seja parceiro. Se em certos momentos suas letras beiram o limiar de atingir a terceiros, é bem provável que ele esteja mais interessado em tirar uma consigo mesmo do que, de fato, levantar alguma bandeira.

Se em 2012, com o seu penúltimo lançamento Lembra, Rafael ganhou a crítica e o interesse do público com um som desafiador e sem meias palavras. Em Um Chopp e Um Sundae, o convite é mesmo pra rir de si próprio, dançar, remixar, ouvir de novo e mostrar a novidade para o amiguinho. Não espere que o disco vá lhe trazer novos insights ou reflexões exacerbadas sobre a vida e suas incertezas, a dica por aqui é: acenda o seu cigarro, coloque o disco na caixinha de som da sala e dance como se a nostalgia nunca fosse o bastante.

Raul Ribeiro

Estagiário em Programação Musical na Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta, às 10h, na Rádio UFSCar:

Segunda-feira

1. Ciúme

2. Preocupado

Terça-feira

3. Gostosa!

4. Caetano Veloso

Quarta-feira

5. Aquela
6. Bicho Solto

Quinta-feira

7. Víbora
8. #Comofas

Sexta-feira

9. Um Trem Passou Por Aqui

10. Motivo

11. Vou Parar de Beber

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA