Otto – The Moon 1111

Escrito por em 29/10/2012

The Moon 1111, novo trabalho da carreira solo do compositor pernambucano, Otto começa com “Dia Claro”, uma baladinha melancólica em que o cantor diz que “só queria um dia feliz, um dia de sol”, acompanhado de um instrumental bem suave e delicado. Da metade pra frente, porém, Otto declama com vocais agressivos que “vai ficar com o que tem, com o que ama” e a música vira do avesso. É o começo perfeito para um álbum como esse, que é o quinto da carreira do ex-percussionista da Mundo Livre S/A.

O novo disco, produzido por Pupillo (baterista da Nação Zumbi), é, em muitos momentos, a síntese de toda a carreira solo de Otto. Ora absorve os elementos da música eletrônica, tanto explorados em seus primeiros álbuns, ora aproxima-se das experimentações com a música regional, que tanto marcou seu último – e melhor trabalho- “Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos” (2009).

Muitas vezes, o disco junta tanto o sintético quanto o orgânico numa deliciosa mistura pop. Por exemplo, “Ela Falava”, primeiro single do disco, começa com uma base eletrônica, quase tecno brega, mas logo dá espaço para uma linha percussiva mais orgânica acompanhar as guitarras de Fernando Catatau (Cidadão Instigado), e fica brincando com esses contrastes.

Otto, já cicatrizado dos acontecimentos que marcaram a criação de Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos (a morte de sua mãe e a separação de sua ex-mulher), se permite ser feliz em “A Noite Mais Linda do Mundo” (regravação da música de Odair José). Mesmo reconhecendo que a própria felicidade não existe, o músico trata a questão com extrema leveza de espírito, como  alcançar um estágio de aceitação que torna a constatação de tal verdade algo até reconfortante.

Mas o disco não é inteiramente leve: em “O que dirá o mundo” Otto lança uma de suas frases mais fortes “o amor e o medo são pontas de facas”, acompanhado por uma paisagem sonora que bebe muito do industrial. Outro destaque é “HDeus”, que lembra muito, pelos efeitos da guitarra e pelo intenso trabalho de teclado, o que o The Mars Volta seria se fosse brasileiro. No final o álbum retoma o bom humor, finalizando da melhor forma possível com “DP”, faixa divertidíssima que vê Otto assumir completamente o posto de cantor romântico brega para cantar uma ode à dupla penetração,e fazer o ouvinte encerrar a audição sorrindo.

Liricamente inspirado no personagem Guy Montag, do livro Fahrenheit 451 e musicalmente  pela obra de Fela Kuti e Pink Floyd, The Moon 1111 é tão plural quanto sugerem suas influências. O interessante é que Otto consegue amarrar muito bem todas as suas distintas influências musicais numa embalagem deliciosamente pop que é simplesmente viciante..

Henrique Gentil,
Bolsista de Programação Musical na Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você ouve de segunda a sexta às 9h45, na Rádio UFSCar:

segunda-feira
1. Dia Claro
2. Ela Falava
terça-feira
3. A Noite Mais Linda do Mundo
4. Exu Parade
quarta-feira
5. The Moon 1111
6. Selvagens olhos, nego!
quinta-feira
7. HDeus
8. Miss Apple e Zé Pilantra
sexta-feira
9. O Que Dirá o Mundo
10. DP

Revisão: Sheila Castro

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA