Lurdez da Luz – Gana pelo Bang

Escrito por em 06/10/2014

É da capital paulista que vemos surgir uma das mais interessantes expoentes do hip hop feminino: a cantora Lurdez da Luz. Sua carreira solo como rapper começou em 2009, mas desde os anos 90 ela está na cena musical. Fez parte do grupo de hip hop afro-futurista Mamelo Sound System, do qual tirou uma enorme experiência musical, que em 2010 culminou com seu primeiro EP solo, autointitulado. Desde então, Lurdez contou com participações mais que especiais em seu trabalho: Nação Zumbi, Hurtmold, Garotas Suecas e Black Alien. Sua versatilidade em fazer parcerias com artistas de estilos e meios diversos foi fundamental para enriquecer o trabalho da rapper, suas músicas receberam influências que vão desde o groove ao rock. E o que vemos hoje no disco Gana Pelo Bang é mais um exemplo da capacidade de Lurdez em trabalhar com novas referências.

Dessa vez, a rapper explora a fronteira cada vez mais difícil de ver entre o hip hop e o funk carioca, abusando também dos beats eletrônicos e trazendo uma pegada festeira e pop. O disco lembra, inevitavelmente, o Batuk Freak de Karol Conká. Conká apostou num lado mais pop desde o início, fundamental para alavancar sua carreira e gerar o sucesso que ela conquistou. Já Lurdez está experimentando esse aspecto pela primeira vez, pegando carona no hype do hip hop eletrônico, mais especificamente na nova geração do trap. Desde 2012 alguns djs e produtores começaram a utilizar os beats do trap (estilo originalmente surgido nos anos 90, no cenário sulista do hip hop norte-americano, e que trazia letras agressivas e batidas também agressivas e aceleradas), para criar um novo estilo de EDM. Aqui no Brasil, nomes como Tropkillaz, Bonde do Rolê, DJ Shaw e Leo Justi estão lançando singles bastante inspirados no estilo. Leo Justi, inclusive, é um dos produtores do Gana Pelo Bang, o que explica essa nova faceta musical que Lurdez da Luz nos mostra.

O disco também conta com Nave e Leo Grijó do Stereodubs nos beats e rimas. Time de peso para um lançamento de peso. As três primeiras faixas, “Mama Drama”, “Ping Pong” e “Beijinho”, trazem influências diferentes (jazz, música de capoeira e R&B, respectivamente), mas com a mesma vibe festiva e com letras de fácil assimilação. “Mente Ae” vem na sequência, trazendo a batida pesada do trap, e depois “Poder” traz uma letra autobiográfica com uma pegada que lembra bastante o manguebeat. Lurdez da Luz não esquece as parcerias nesse disco e traz nomes como Rael da Rima e Russo Passapusso. A segunda parte do álbum nos remete um pouco aos trabalhos anteriores da rapper,  com letras mais conscientizadas e intimistas, como “Naija”, “Gana” e “DR”; e é pontuado por “Fervo”, mais uma faixa festeira, e “Fila nas Lojinha”, que é perfeita para ouvir no supermercado.

Gana Pelo Bang é o disco que vai colocar Lurdez da Luz em evidência, assim como Batuk Freak fez com Karol Conká. Equilibrado entre o pop e o hip hop, contemporâneo com a pegada do trap, com nomes de peso na produção, divertido e dançante, consegue agradar a gregos e troianos.

Diana Ragnole, estagiária em programação musical.

A seguir, a lista de músicas que vão ao ar de segunda a sexta, às 9h45:

Segunda-feira

Mama Drama

Ping Pong

Terça-feira

Beijinho

Mente Ae

Quarta-feira

Poder

DR

Quinta-feira

Fila nas Lojinhas

Naija

Sexta-feira

Fervo

Gana

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA