Lucas Santtana – Sobre Noites e Dias

Escrito por em 01/09/2014

Mudanças rápidas ocorrem nesse começo do terceiro milênio, às vezes, por serem tão rápidas, passam despercebidas. De um dia para o outro surgem novas tecnologias que influenciam o nosso comportamento, a nossa cultura, o jeito de se relacionar, os sentimentos são digitalizados, as paixões são virtuais. Às vezes precisamos parar e olhar de longe para ter consciência que o futuro está acontecendo agora.

É com esse olhar macro sobre o tempo que estamos vivendo que Lucas Santtana abre o seu sexto álbum Sobre dias e noites. São 10 faixas nas quais, assim como no precedente disco, as melodias orgânicas e as pulsações eletrônicas se encontram traçando um paralelo com as contradições do nosso cotidiano.

Logo na primeira música “Human Time”, o quarteto de cordas Oslo Strings abre com uma repetição de acordes que nos trás à memoria o minimalismo hipnótico de Philip Glass, em que a voz de Lucas entra tranquila em contraponto à atmosfera solene evocada pela sobreposição de camadas sonoras: a linha de baixo junta com o clarone (clarinete baixo) marcando o tempo, as batidas sintéticas e as texturas dos sinth se somam e nos arrastam num crescendo que culmina com a letra em francês declamada por Fanny Ardant: “Onde está o tempo humano?”

Continuando, outros aspectos que caraterizam o nosso dia a dia são enfrentados em “Funk dos Bromanticos”, uma batida funk carioca sobre a qual se desenvolve uma cativante melodia e descreve mais um aspecto que carateriza o nosso tempo. Os gêneros se confundem, a troca de beijos deixa para trás a moral hipócrita de quem tem medo das mudanças.

Em “Montanha Russa Sentimental” um amor futurístico evolui por meio de um sinal WI-FI que chega aos smartphones. O sinal some e volta e nos leva para eufóricas alturas e assustadoras caídas.

Uma dimensão mais humana é aquela que encontramos em “Partículas de Amor”, primeiro single a ser lançado, um clima solar e sereno evocado por uma melodia genialmente simples em que deliciosos barulhinhos eletrônicos flertam com um violão de sete cordas.

“Diário de uma Bicicleta” é um rolê na cidade maravilha, com a progressão rítmica marcada pelas rimas do rapper niteroiense De Leve. A métrica urbana corre solta sobre as notas das guitarras.

A brasilidade vem à tona na marchinha/frevo com influências afrobeat em “Mariazinha Morena Clara”, mais uma demonstração de como a música transcende às fronteiras para celebrar a vida, assim como num desfile de carnaval.

Estas são algumas das músicas que compõem esse disco que vai se somar à minha lista do melhores do ano. Não deixe de conferir o álbum na íntegra.

Deixei de citar todos os artistas que participam desse disco, porque a lista seria longa, baste saber que muitos nomes de destaque do panorama musical nacional e internacional estão presentes e que, com certeza, os ouvidos mais treinados saberão reconhecer alguns.

 Paz!

 Mauro Lussi – coordenador de Programação Musical e Dj da Rádio UFSCar

A seguir, as músicas que você ouve de segunda a sexta-feira, às 9h45, na Rádio UFSCar.

 Segunda-feira

 1. Human Time

2. Funk dos Bromanticos

 Terça-feira

 3. Let The Night Get High

4. Montanha Russa Sentimental

 Quarta-feira

 5. Alguem Assopra Ela

6. Partículas de Amor

Quinta-feira

 7. Diário de uma Bicicleta

8. Mariazinha Morena Clara

 Sexta-feira

9. Blind Date

10. Velhinho


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA