Leonardo Marques – Curvas, Lados, Linhas Tortas, Sujas e Discretas

Escrito por em 23/03/2015

Não é de hoje que a cena independente mineira tem nos surpreendido. Muito se tem falado da movimentação stoner/rock de Goiânia, do sempre interessante e moderno som de Porto Alegre e sul do Brasil e também das brasilidades características e rebuscadas que vem do Norte e Nordeste. No entanto, o disco nacional dessa semana é dedicado a um dos caras que tem sido presença constante na fértil, porém ainda pouco hypada, cena que vem da capital mineira do nosso País: Belo Horizonte.

Com uma sonoridade que não poderia vir de um estado diferente, senão do próprio berço de eternos nomes da música brasileira como o de Milton Nascimento, João Bosco e Clube da Esquina; Leonardo Marques é um dos expoentes dessa nova safra de compositores mineiros que parecem ter conquistado de vez a atenção do público e da crítica. Lupe de Lupe, Madame Rrose Sélavy, Invisível e a própria Transmissor (banda de Léo)… são nomes que, entre outros, integram o cenário que tem encontrado na nostalgia e na melancolia um tanto de identidade relevante. Vale ressaltar também que o disco é um lançamento do selo/gravadora La Femme Qui Roule, selo de destaque da cidade que é encabeçado pelo próprio Léo Marques e pelo belga Yannick Falisse.

O compositor, apesar de longos anos de atividade na cena, pode ainda ser considerado um nome bem pouco ventilado aqui por esses lados de SP e interior. Por mais novidade que seu nome possa sugerir, Léo já tocou com a extinta Diesel no Rock in Rio III, já morou e gravou na gringa com produtores renomados como Matt Wallace (Maroon 5) e Thom Russo (Audioslave, Johnny Cash) e já tocou em palcos de destaque como Circo Voador (RJ) e até no SXSW em Austin – Texas, com a Transmissor. Fato este que se revela nas próprias letras de seu projeto solo, em versos que por vezes demonstram o interior de um artista experiente e preparado, longe do que se convencionou por clichê e superficialidade.

Gravado no próprio estúdio de Léo Marques, Ilha do Corvo, e também no estúdio Bunker do amigo Anderson Guerra – Curvas, Lados, Linhas Tortas, Sujas e Discretas – segundo lançamento da carreira solo do compositor, tem um quê de Lô Borges e um rebuscamento lírico digno de um compositor mineiro que sabe se expressar através da poesia cantada. A poesia densa de Léo se soma a melodias delicadas e arranjos simples pautados no indie folk, com nuances eletrônicas e instrumentos pouco convencionais como o banjo, por exemplo. Uma lembrança de bandas gringas do sinthpop como Beach House e algo da chillwave de Toro y Moi ainda permeia, mesmo que de forma discreta, os acordes e timbres escolhidos.

“Se o chão dá um nó”, “Ilha do Corvo” e “Meus pés no chão” são apenas algumas dos destaques do álbum. Gravando todos os instrumentos, salvo as baterias assinadas por Pedro Hernan, Léo apresenta letras bem pessoais, uma levada tranquila e por vezes o uso de baixo eletrônico, estrutura que se repete e demonstra uma consistência bem clara a respeito de sua proposta sonora. Outra faixa de destaque, que também vale a atenção, é a releitura moderna do ídolo Lô Borges em “Um girassol da cor de seu cabelo”, canção que, mesmo 40 anos depois, ainda emociona com tamanha beleza quando repaginada com ares modernos da produção do compositor.

De tudo, vale torcer para que o compositor venha divulgar o seu trabalho aqui por esses cantos do Sudeste também. Se o charme da música mineira sempre resvalou na poesia lírica e nas melodias bem trabalhadas, Leonardo Marques definitivamente não decepcionou e colocou de vez o seu nome como um dos expoente desta agitada cena independente, vale a pena acompanhar!

Raul Ribeiro

Estagiário em Programação Musical na Rádio UFSCar

 

 

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta, às 10h, na Rádio UFSCar:

Segunda-feira

  1. Se o chão dá um nó
  2. Ilha do corvo

Terça-feira

  1. Ele só vai a pe
  2. Margem

Quarta-feira

  1. Meus pés no chao
  2. Brilliant blue

Quinta-feira

  1. Um girassol da cor de seu cabelo

Sexta-feira

  1. Curvas, lados, linhas tortas, sujas e discretas
  2. Alvarado

 

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA