Elza Soares – A Mulher do Fim do Mundo

Escrito por em 16/11/2015

Após o ótimo Estratosférica (2015) de Gal Costa, disco lançado ainda no primeiro semestre do ano, é da carioca e mais que irreverente Elza Soares, o lançamento de maior destaque de artistas brasileiros já consolidados neste ano de 2015. Do alto de seus 85 anos, a diva lança, em parceria do Selo Circus e da Natura Musical, o seu primeiro álbum de inéditas em 60 anos de carreira. Um disco que, apesar de ainda jovem, tem todo o potencial para ser classificado como um genuíno clássico.

Gravado e produzido na parceria de músicos da atual safra paulistana, entre eles o baterista Guilherme Kastrup e o guitarrista Kiko Dinucci, e dos diretores artísticos Romulo Fróes e Celso Sim, A Mulher do Fim do Mundo (2015) é exatamente aquilo que se espera do encontro de uma voz marcante com o barulho moderno, dissonante e experimental dos paulistanos. Mas veja bem, não é como se a cantora – já imortalizada – fosse coadjuvante em seu próprio disco, estamos falando aqui de ninguém menos do que Elza Soares. Aquela que já passou pela perda de três filhos, já foi malhada pela opinião pública por um relacionamento com o ex-jogador Garrincha e que, apesar de todas as forças contrárias para desistir da vida artistica, continua como uma das personalidades mais simpáticas da música brasileira – fazendo da sua voz rouca e torta – um instrumento que parece ficar ainda melhor a cada ano que passa.

elza 1

Com canções que vão do rock ao hip hop, sem deixar as raízes do samba de lado, A Mulher do Fim do Mundo é firme em tratar a violência doméstica (“Maria da Vila Matilde”), a transsexualidade (“Benedita”), e ainda deixa um recado muito claro quando diz “Bem que o anão me contou que o mundo vai terminar num poço cheio de merda”, trecho de “Luz Vermelha”. Com destaque para  “Coração do Mar”, faixa que abre o disco com um poema de Oswald de Andrade – musicado pelo parceiro de longa data Jose Miguel Wisnik – e também para a faixa título do álbum, em que a cantora diz “Me deixem cantar até o fim”, de maneira persistente e autobiográfica, na faixa composta por Romulo Fróes e Alice Coutinho.

Se o ano passado nos presenteou com a voz incrível de Juçara Marçal, no ótimo Encarnado (2014), 2015 não decepciona e já pode ser considerado um ano exemplar para a música. A Mulher do Fim do Mundo é quase como um paradoxo, quando constrói um retrato dos tempos modernos – tão instantâneo e volátil – na voz de uma figura imorrível e com mais de 60 anos na labuta. Valeria a pena só pelo resgate, mas surpreende pelo impacto e deve figurar tranquilamente como um dos melhores lançamentos do ano.


 Raul Ribeiro, estagiário em programação musical na Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta, às 10h. Você também pode ouvir o álbum na íntegra no domingo, às 15h, aqui na 95,3 FM, escute diferente!

Segunda-feira

1- Coração do Mar/ Mulher do Fim do Mundo

Terça-feira

2- Maria da Vila Matilde

3- Luz Vermelha

Quarta-feira

4- Pra Fuder

5- Benedita

Quinta-feira

6- Firmeza?!

7- Dança

Sexta-feira

8- O Canal

9- Solto / Comigo

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA