Chapa Mamba- Banda Forra

Escrito por em 16/02/2015

 

A Chapa Mamba apareceu pela primeira vez aqui na rádio com seu disco de estreia S/T, apadrinhados pelo grande agitador da lo-fizera cultural carioca Lê Almeida. Faixas como “Faça Você Mesmo” e “Ninguém Presta” nos conquistaram pelo seu humor ácido despretensiosamente “roquenrôu” e fizeram do bolachão de estreia do duo mais roots do RJ disco da semana de abril do ano passado. Agora, menos de um ano depois, Estevão Stêvz e Bruno Lima lançam mais uma pedrada para o delírio dos apreciadores do bom e velho rockão de garagem tupiniquim: Banda Forra.

Lançado em parceria com a Transfusão Noise Records (do previamente citado Lê Almeida) e o recém-criado Chupa Manga Records (dos próprios rapazes da banda), Banda Forra vê Stêvz sair da sombra de Lê e assinar sozinho a produção do disco. A mudança se faz sentir, e Banda Forra se prova de longe um álbum bem mais “viajandão” que S/T. Algo sobre os timbres, bem reminiscentes da cena de garagem dos anos 90, distorcidos ao último nível, confere um charme ainda maior ao som despojado dos cariocas. Stêvz deixa sua voz bem afundada na mixagem, como um outro instrumento, chega até a ser difícil de identificar sobre o que ele canta durante a explosiva meia hora de duração do disco, em meio a tanta distorção aplicada à voz do garoto. Mas até aí, sem problemas, estamos falando da mesma banda que afirmava, em sua estreia, que ninguém prestava atenção na letra mesmo.

Banda Forra é uma resposta nacional ao sucesso de grupos como Tame Impala e Temples. É lisérgico e também bebe de referências setentistas, mas a praia do duo parece ser bem mais Sonic Youth que Sgt. Peppers. Enquanto o som do Impala é arrumadinho, a Chapa Mamba se apresenta como aquele primo sujo sarrista que sempre te mostra umas bandas loucas que ninguém nunca ouviu falar – e se o resenhista aqui parece se identificar um pouquinho demais com o tipo, não é mera coincidência. Faixas como “Cocada Preta”, “Banda Forra”, “Zero Like”, “A Soma Do Quadrado Dos Caretas” e “Engrenagens” não me deixam negar: Chapa Mamba é o que teria acontecido se os caras do Pixies tivessem nascido no Brasil, no perrengue. É rock, é cru, é massa e tem aquele apelo pop que você nunca esperaria de um grupo que provavelmente gravou tudo na garagem de casa com uns microfones de karaokê (ou pelo menos produziu como se tivesse sido).

Se antes a gente te recomendava ficar de olho na Chapa Mamba, agora é obrigação. Poucas bandas conseguem fazer um disco tão “foda-se”, com faixas na média de 2 minutos, e se safar apenas com a atitude. Os meninos “são bão” e merecem a sua atenção, então o que você tá esperando pra sacar o som dos caras e montar mais uma banda de garagem?

Henrique Gentil

Estagiário em Aúdio da Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta, às 10h00, na Rádio UFSCar

Segunda-feira

  1. Você É Grande Mas Não É Dois
  2. Cocada Preta

Terça-feira

  1. Despertador
  2. Banda Forra

Quarta-feira

  1. Morte e Vida Social
  2. Dureza Pura

Quinta-feira

  1. Zero Like
  2. A Soma do Quadrado dos Caretas

Sexta-feira

  1. Engrenagens
  2. Guanabara Surf
Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA