Baleia – Quebra Azul

Escrito por em 28/10/2013

Baleia é uma banda carioca que  chamou a atenção há algum tempo atrás, por fazer covers de músicas pops atuais. Numa pegada meio Nouvelle Vague, eles deram um toque de classe e elegância à música pop, transformando-a com uma levada mais jazz. O sucesso que isso gerou no youtube mostrou a capacidade da banda como intérpretes, agora eles lançaram seu disco Quebra Azul para mostrarem também seu potencial como compositores.

Quebra Azul é um disco simples em termos de temáticas, usando metáforas como a chuva que bate na casa, de um motim no mar, de sorrisos, do sono e do azul do céu para falar de sentimentos, mas Baleia compensa essa simplicidade na construção sonora do ábum, que se mostra bastante rica. A banda é composta por seis músicos, assim a variedade de instrumentos é o que não falta. O jazz é um elemento constante, um toque dissonante que serve de base para a exploração de outros estilos.

O álbum abre com “Casa” a faixa mais animada e com um toque folk, a música gerou algumas falsas esperanças de que Quebra Azul fosse seguir essa pegada, com violinos e violões dedilhados e temática bucólica, mas a partir da faixa seguinte já deixamos de esperar por isso. Em faixas como “Motim”, temos uma construção musical que lembra o experimentalismo da banda gringa Radiohead, um rock-jazz com toques eletrônicos melancólicos, já em “Furo” encontramos algo que lembra uma bossa nova um pouco modernizada, com um vocal etéreo pop. “In” é uma música que abre com uma espécie de violão flamenco, que retorna eventualmente no meio da canção, num contra-solo com o piano e com o violoncelo, que continuam dando a marcação de jazz na música inteira. A última música “Despertador” é uma faixa mais intensa, por ter dez minutos o caráter experimental é evidenciado em diversos momentos, o vocal misto é bem explorado, partindo de momentos suaves e indo para entonações mais intensas conforme a música se desenvolve, e depois quebrando subitamente para voltar a crescer e, assim, fechando o ciclo rítmico das ondas do mar.

Quebra Azul não tem esse nome à toa, todas as músicas fazem alguma referência direta ou indireta ao mar. O mar é uma figura extremamente explorada na arte, por conta de tudo aquilo que ele representa, tanto conceitos intensos como: imensidão, vastidão, imponência, inconstância, mudança; tanto quanto ideias associadas à paz, solidão, diversidade, união, placidez, elementos destas duas naturezas são encontrados nas músicas da banda carioca Baleia.

Quebra Azul tem momentos de poesia e imagens belas, como um dia de sol numa praia deserta de águas cristalinas e também momentos musicalmente cheios e experimentais, lembrando a ressaca pós-tempestade.

Diana Ragnole
Estagiária em Programação musical na Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta às 9h45, na Rádio UFSCar.

segunda-feira
1. Casa
2. Motim
terça-feira
3. Furo
4. Jiraya
quarta-feira
5. In
quinta-feira
6. Furo 2 (Sangue do Paraguai)
7. Breu
sexta-feira
8. Despertador

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA