Bajofondo – Presente

Escrito por em 18/03/2013

O Nu Tango surgiu no final do século passado e teve como seus maiores representantes os lendários Gotan Project, trio de músicos de países diferentes que, com uma mistura de elementos tradicionais do tango e sonoridades sintéticas, criaram uma nova roupagem para este gênero que encontra as próprias origens na região do Rio de la Plata, na costa atlântica da Argentina.

Logo em seguida surgiram várias formações parecidas com os Gotan, entre elas sempre se destacou o projeto Bajofondo Tango Club que, mais tarde, mudou o nome simplesmente para Bajofondo.

 A ideia tomou forma na pessoa de Gustavo Santaolalla, músico experiente, ganhador de dois Oscar por composições de trilhas de filmes, e de Juan Campodónico, também músico, compositor e produtor uruguaio.

 Tudo começou pela necessidade de explorar as próprias raízes e criar um novo caráter para esse gênero musical que precisava de uma maquilagem mais urbana e contemporânea, alcançando, assim, um público mais jovem e mantendo, ao mesmo tempo, viva a memória cultural coletiva.

 Com um curriculum não muito extenso, depois do primeiro álbum lançado em 2002 intitulado Bajofondo Tango Club e os sucessivos Bajofondo Tango Club Presenta: Supervielle, ou seja, um projeto solo de Luciano Supervielle que, na verdade, é o tecladista e DJ do coletivo, seguido em 2004 com uma versão remixada. Uma estratégia parecida com o disco Mar Dulce de 2007 na qual a versão deluxe contava com a participação da Julieta Venegas, além de muitos outros convidados que compareceram na primeira versão.

Presente chega às lojas por esses dias, com 120 minutos, 22 composições nas quais trilhamos inúmeros estilos e gêneros. O imaginário cinemático de Gustavo Santaolalla domina em quase todo o disco, os arranjos orquestrais escritos e dirigidos por Alejandro Terán, parceiro criativo desse trabalho, enfatizam as grandes melodias românticas e sugestivas como na pérola “Rendezvous”, digna de comparecer na soundtrack de um filme francês da década de 1970. Da mesma forma, na bela “Nocturno”, introduzida  por um piano com um crescendo de violas, cellos e violinos que nos levam do êxtase ao drama, evocando, mais uma vez, o imaginário de celuloide que inspirou, quase na totalidade, este ultimo trabalho do coletivo musical.

 Mas além das músicas épicas, na maioria instrumentais, em Presente encontramos também o pop contemporâneo influenciado por uma variedade de estilos e misturas.

 O primeiro single a ser lançado “Pide Piso”, produção que olha para o mercado internacional e que, sem dúvida, será seguida por vários remixes, se resume a uma batida eletrônica viciante com inserções de tango feitas nas medidas certas. Logo depois encontramos, só para citar mais um potencial hit de pista, a enérgica “La Trufa Y El Sifon”, um beat eletrônico anfetamínico com um refrão de guitarra suado e pesadíssimo, contraposto a uma improvável sessão de cordas.

 Descrever cada episódio que compõe o disco seria um exercício tanto desgastante quanto inútil, visto a variedade de influências e referências que cada um de nós pode encontrar escondidas entre as notas.

 Acho melhor descobrir este tesouro da Nova música pop global você mesmo, não queria estragar o prazer de tamanha surpresa!!

 Paz!

 Mauro Lussi

Coordenador da programação musical e DJ da Rádio Ufscar

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta, às 15h45, na Rádio UFSCar.

segunda-feira

 Intro

Codigo De Barra

Segundos Afuera

Pide Piso

 terça-feira

 Nocturno

Pena En Mi Corazon

Caminante

La Trufa Y El Sifon

 quarta-feira

 Sabelo

Patras

Oigo Voces

Cuesta Arriba

 quinta-feira

Rendezvous

Lluvia

Noviembre

Circular

 sexta-feira

A Repechaje

Milongon

Asi Es (Propergol)

Olvidate

Outro

Revisão: Sheila Castro

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA