Ba-boom – Incendeia

Escrito por em 17/09/2012

No ABC paulista, região precursora da industrialização no Brasil e caracterizado por movimentos sociais, é onde surge o grupo de música brasileira jamaicana – ou jamaicana brasileira? – Ba-boom!

Composto por 10 integrantes e na cena musical desde 2000, o grupo começou de forma totalmente desprentensiosa e amadora, profissionalizando-se ao decorrer dos anos de maneira muito natural: adquiriram a técnica convivendo uns com os outros e movidos pela necessidade de fazerem um som melhor à medida que ganhavam destaque, as apresentações em casas de shows tornaram-se frequentes.

A mistura de ritmos jamaicanos – tais quais o reggae, ragga e o ska – com música brasileira – samba e afoxé, com grande destaque – é uma das principais características do Ba-Boom que, ainda, tem mais um diferencial: pegam toda a carga sócio-cultural que carregam em função do ABC e transformam-na em letras, incorporando-as ao som que sai de suas caixas.

Lançaram um EP em 2009, mas a ascenção veio com as 10 faixas e um material bem produzido do primeiro ábum denonimado Incendeia, que chega para coroar o grupo e casar perfeitamente com o nome Ba-boom: os dois juntos só poderiam causar uma única coisa: explosão auditiva! Pedrada musical de qualidade nos tímpanos do ouvinte, fazendo-o dançar e cantar junto.

Incendeia conta com direção musical de Sérgio Soffiatti, integrante e idealizador da Orquestra Brasileira de Música Jamaicana (OBMJ), além de participações de Denna Hill, destaque do hip-hop paulista; Ana Guimarães, cantora e regente do Coral Popular de Diadema; Felippe Pipeta, trompetista do Sapo Banjo e da OBMJ e André Abujamra, que vem pra finalizar com chave de ouro e transformar a última faixa do disco, “Mano, Sujou!” em uma das melhores do álbum.

As músicas contam histórias brasileiras com ritmo jamaicano, entoadas em vocais que lembram o hip-hop, a música urbana paulistana. “Quem conta” é um grande exemplo dessa mistura. Com a participação de Dena HIll, dando o toque feminino, a faixa é quase um amálgama das influências que acompanham a banda. “Botamos na panela tudo o que achávamos legal pra ver no que dava. Com o tempo fomos tirando o que sobrava e criando uma identidade mais firme” disse Buia Kalunga em entrevista e meus parabéns, pois a receita deu certo e a identidade musical é algo que realmente chama a atenção na Ba-boom.

É interessante ressaltar também que, os integrantes do Ba-boom depararam-se com a necessidade de ter um órgão que fizesse a ponte burocrática da banda, e como artistas independentes, criaram a Jangada Cultural, produtora de eventos e do próprio disco, Incendeia. Foi a solução que o Ba-boom encontrou para não perder seu selo e tampouco a liberdade criativa característica desse grupo de artistas.

Enfim, o disco é ótima pedida para os amantes dos ritmos jamaicanos, dos brasileiros e, principalmente, da mistura dos dois. Quer algo novo para ouvir? É só acessar o link: http://www.projetobaboom.com.br/, e baixar gratuitamente o som dos caras! De quebra ainda você leva um material bem legal composto por ficha técnica, fotos e wallpapers que a banda produziu.

Diego Paulino,
Estagiário de Programação Musical na Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você ouve de segunda a sexta às 9h45, na Rádio UFSCar:

segunda -feira
1. Incendeia
2. Batalha
terça-feira
3. Quem Conta
4. Noite de Reggae
quarta-feira
5. Toque de Bamba
6. Amizade Prevalece
quinta-feira
7. Inna RC
8. Canção Guerreira
sexta-feira
9. Como tá Kalunga?
10. Mano, Sujou!

Revisão: Sheila Castro

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA