Lavoura – Photosynthesis

Escrito por em 27/10/2014

Sintetizadores, sons cósmicos e futuristas, instrumentos e plantas e o interior de São Paulo. Esses são alguns dos ingredientes que compõem o molho da Lavoura, banda instrumental paulista formada em 2003 por Fernando TRZ,  Fabiano “IB” Alcântara, PP (Paulo Pires) e Caleb “Daddy F” Mascarenhas. Todos colegas enquanto moravam juntos numa república em Bauru. A banda surgiu como um experimento de músicos que queriam brincar com as possibilidades da música eletrônica, e o resultado foi uma parceria que dura mais de uma década e que já rendeu diversos frutos interessantes. E Photosynthesis é o mais recente dele.

Mais que um disco, Photosynthesis é um projeto audiovisual. Acompanhado de uma performance visual montada por Flávio Lima que traz o uso de projeções de vídeo mapeados pelos artista visuais/VJs Daniel Todeschi e Carlos Pedreanez, e o desenho de luz de Isadora Giuntini, a Lavoura leva seu show a um novo nível de imersão. O som do quarto disco da banda traz uma fusão de sons afrofuturistas, jazz, dub, música eletrônica e soul. Uma atmosfera cósmica, ligeiramente retrô e lounge.

E o projeto não para aí. Por meio de uma parceria com o Garagem Fab Lab, a banda começou a desenvolver o próprio sintetizador, batizado de Photosynth. O sintetizador está sendo financiado via crowdfunding e poderá ser adquirido na pré-venda por aqueles que contribuirem com a vaquinha. Trata-se de um hardware livre, e  as instruções de montagem, lista de materiais, design do console para impressora 3D e esquemáticos do circuito elétrico serão publicados em breve no site da Lavoura.

Photosynthesis é um disco para se viajar. A banda tenta, desde sua criação, atingir a sonoridade mais cósmica possível. A música eletrônica, embora pareça a protagonista do álbum, na verdade se encontra bastante diluída nos outros estilos já citados, como o jazz e o soul. Tipo de combinação que se encontra cada vez mais presente no som de artistas que testam os limites e as possibilidades da música eletrônica.

Esse tipo de coisa não acontece todo dia. Uma banda que cria sua própria música, seu próprio espetáculo, o próprio sintetizador, e ainda se gere financeiramente. A música independente brasileira só tem a crescer, se continuarem a surgir projetos complexos e interessantes como o Photosynthesis, alimentados por parcerias de pequenos produtores e mentes criativas dispostas a trabalhar à parte da grande indústria fonográfica.

 

 

Diana Ragnole, estagiária em Programação Musical.

A seguir, a lista de músicas que vão ao ar de segunda à sexta, às 9h45:

segunda-feira

  1. Photosynthesis
  2. Malakita

terça-feira

3. Viva Bertrami

4. Camaragibe

quarta-feira

5. La Momposina

quinta-feira

6. Abhay

sexta-feira

7. Seiva Bruta

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA