tUnE-yArDs – Nikki Nack

Escrito por em 26/05/2014

Quando ouvi tUnE-yArDs pela primeira vez, me surpreendi ao descobrir que não se tratava de uma banda propriamente dita, mas do projeto de uma única musicista, a norte-americana Merrill Garbus. O trabalho de Garbus mistura a música folk com a música pop, o R&B e experimentações eletrônicas de worldbeats, tudo com uma sonoridade lo-fi. As músicas são cheias de texturas e camadas sonoras, e foi justamente essa complexidade de sons que me surpreendeu, afinal é tudo feito por uma pessoa só (ok, existe mais um membro na banda, o baixista Nate Brenner, mas a responsabilidade criativa é majoritariamente de Garbus)!

É difícil de definir o estilo do tUnE-yArDs. É um som bem contemporâneo, a mistura do eletrônico com o orgânico está sendo muito utilizada pelos músicos e artistas mais antenados nas novas tendências, assim como a pesquisa de beats e sonoridades diversas do mundo. E Merrill Garbus já sabia disso desde 2006, quando começou a lançar suas músicas de forma independente, que culminou com o sucesso do seu segundo disco, o Whokill (escrito w h o k i l l), de 2011, extremamente elogiado pela mídia especializada.

garbus

Merrill Garbus é uma figura curiosa, uma personalidade forte caracterizada por roupas coloridas, muita expressividade corporal e espontaneidade. E toda essa personalidade está presente em suas músicas. Nikki Nack é o terceiro album do tUnE-yArD e não deixa nada a desejar em comparação com seu antecessor.

Uma contradição esquisita entre elementos musicais alegres e uma carga poética densa aparece durante todo o disco, inclusive no próprio nome da obra, uma vez que “nick nack” é uma gíria singela para “brinquedo”. Além disso, existe um aspecto folclórico inerente que aparece não só nas influências da música folk, mas também por meio de citações de canções da tradição oral, isso aparece em faixas como “Time Of Dark” e “Real Thing”, que trazem letras mais densas, reforçando a ideia que sugeri inicialmente. Mas ainda assim, o tUnE-yArDs aposta em outras sonoridades, explorando o lado mais sentimental de Garbus, como na faixa “Wait For A Minute”, e não perde o fôlego em nenhum momento, tendo faixas bastante enérgicas como “Sink-O” e “Hey Life”.

O devastador single “Water Fountain” traz uma combinação de melodia, letra e imagem que beira à esquizofrenia. O videoclipe incorpora uma diversidade de elementos infantis, como brinquedos, fantoches e objetos coloridos, Merrill canta e dança com movimentos exagerados e a melodia é animada, mas tudo isso contrasta com a letra da canção, que nos presenteia com versos amargos como Nothing feels like dying like the drying of my skin and lawn/ Why do we just sit here while they watch us wither til we’re gone?”. Na minha opinião, é a música que deixa o conceito de Nikki Nack mais evidente. A minha reação inicial foi de estranhamento, mas ao mesmo tempo de fascinação, e esses dois sentimentos, absolutamente indispensáveis, são o que uma boa obra de arte deve suscitar.

Diana Ragnole, estagiária em Programação Musical.

A seguir, a lista de músicas que tocam de segunda a sexta, às 15h45, na Rádio UFSCar.

Segunda-feira

01 – Find A New Way

02 – Water Fountain

03 – Time of Dark

Terça-feira

04 – Real Thing

05 – Look Around

Quarta-feira

06 – Hey Life

07 – Sink-O

08 – Why Do We Dine On The Tots

Quinta-feira

09 – Stop That Man

10 – Wait for a Minute

Sexta-feira

11 – Left Behind

12 – Rocking Chair

13 – Manchild

 

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA