Tumi and the Volume – Pick A Dream

Escrito por em 07/06/2010

tumi
Antes de tudo, preciso agradecer a minha querida amiga e colega Yasmin Muller por ter me apresentado a este belíssimo disco demonstrando, mais uma vez, como ela conhece bem os meus gostos musicais.

Nesta semana começam os jogos mundiais de futebol que, como todo o mundo sabe, são sediados pela primeira vez num país africano: a República da África do Sul. Então, aproveito o evento para falar de um dos melhores grupos musicais que surgiram, no começo do novo milênio, neste país que ficará tristemente lembrado na história por aplicar aquelas vergonhosas e discriminatórias leis de segregação racial, conhecidas com o nome de apartheid, até 1994, quando aconteceram as primeiras eleições livres vencidas pelo African National Congress e elegeram Nelson Mandela, o primeiro presidente sul-africano negro.

Tumi and the Volume se formou em 2001 em volta do MC, escritor e poeta Tumi Molekane e a quase totalidade dos componentes da banda moçambiquenha “340ml” agora residentes em Johannesburg. Uma formação básica composta por baixo, guitarra, bateria e voz capaz de criar um som contemporâneo, urbano, aberto à contaminações ocidentais, como o Hip Hop, o Funky, o Reggae e o Rock, mas com os pés que pisam na terra do continente de origem do “Black President”, o grande Fela Kuti, inventor do Afro Beat, nos anos 70. As líricas do MC são cheias de referências sociais e políticas de um país que conquistou, sim, a democracia, mas também uma herança cultural doente que se enraizou na consciência coletiva.

O disco abre com “La tête savante” um Hip Hop que se torna um mantra em cima de uma base rítmico-acústica de deixar sem fôlego. Na faixa seguinte, o som dá uma virada em direção de um Rap mais convencional com elementos Jazz-funk sofisticados e arranjos elegantes.

Mas é na canção “Through my sunroof”  que a a poesia de Tumi e a música se tornam uma coisa só. Uma evocativa voz narrante desliza sobre uma base onírica, que une à tristeza e à esperança de uma cidade (Jo’Burg, como é chamada na gíria local) que agora é livre, mas continua vivendo todas as contradições de uma grande metrópole, onde por muito tempo uma minoria (os brancos) mandou e humilhou a maioria (os negros). A volta à realidade nos espera na próxima faixa, “Reality Check”, com uma sonoridade a qual já estamos acostumados, mais perto aos esquemas do Rap clássico.

Ritmo e poesia, é isso que vocês encontram neste CD, tudo misturado com maestria e competência. Mas também esperança e a força que os negros tiveram para enfrentar, através dos séculos, os preconceitos e as discriminações, para serem considerados como seres humanos. Deixem que a música arraste vocês e acenda uma luz em suas cabeças.

“Light in your Head”

Paz!
Mauro Lussi
Programador musical e DJ da
Radio UFSCar

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA