Skip & Die – Riots in the Jungle

Escrito por em 14/01/2013

Uma mania que tenho é sempre conferir como as bandas autodenominam seu próprio estilo e gênero musical, verificando se coincide com a minha opiniao ou não. O Skip & Die, em específico, se define como uma banda de afrofuturistic-tropibass, e eu não seria capaz de cunhar melhor termo.

O projeto começou como uma colaboração entre a vocalista e artista visual sul-africana, Catarina Aimée Dahms, conhecida como Cata.Pirata e o produtor holandês, Jori Collignon. O álbum propriamente dito foi escrito enquanto Cata.Pirata e Crypto.Jori viajavam  pela África do Sul, pegando influências e referências, juntando-as no final num grande caldeirão intitulado Riots in The Jungle.

O disco é extremamente múltiplo, seja em suas batidas que vão de ritmos latinos, balcânicos e orientais ao característico afro-beat, sempre executado numa massa sonora eletrônica quase paupável. Além disso, há pluralidade até mesmo nos versos entoados por Cata.Pirata com toda sua atitude: as músicas são cantadas em inglês, africâner, xhosa, espanhol e incluse português.

O primeiro single “Love Jihad”- acompanhado de um excelente clipe dirigido pela própria Cata.Pirata – mostra ao que o grupo veio, destilando batidas energéticas e quase ritualísticas à medida que o ouvinte é envolvido num transe. A música é extremamente bem produzida e mixada, tendo cada som seu lugar garantido. Nenhum efeito sobrepõe-se ao outro, engrandecendo o resultado final.  “Macacos Sujos” é a faixa com mais versos em português e o modo como Cata conduz a música lembra muito o funk carioca (o que é bem incrível, visto que ela já até morou no Brasil), e de uma forma satisfatória difere de “Love Jihad”. Por exemplo, o álbum tem sim uma unidade musical, mas não é o mais do mesmo: é quase uma aula de como referenciar a música e ela mesma e de forma regional, mas ainda assim ser variado e original.

A banda completa conta com  Gino Bombrini ( percussão / guitarra), Rene Kuhlmann (eletrônica), Nique Quentin (percussão)  e Daniel Rose (instrumentos de corda – sitara/guitarra), além, é claro, da produção de Collignon e da presença quase sobrenatural de Cata.Pirata, que conduz o grupo como uma amazona desbravadora de estilos musicais.

Anotem aí: com a recente repercussão do Die Antwoord e os olhos virados pra África do Sul, não vai demorar muito para que o Skip & Die e seu Riots in The Jungle ganhe o mundo.

Diego Paulino
Estagiário em Programação musical na Rádio UFSCar

A seguir, a lista de músicas que você ouve de segunda a sexta às 15h45, na Rádio UFSCar:

segunda-feira
1. Jungle Riot
2. La Cumbia Dictadura
terça-feira
3. Killing Aid (with Gazelle)
4. Delhi Dungeon
quarta-feira
5. Love Jihad
6. To Skip & Die in Sa (with Season Marimba Stars)
quinta-feira
7. Macacos Sujos
8. Lihlwempu Lomlungu (with Driemanskap)
9. Anti-Capitalista
sexta-feira
10. Thina Sobabini (with Season Marimba All Stars)
11. Senorita
12. Tigresito (with Joao Orecchia)

Revisão: Daniel Monteiro

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA