Die Antwoord – Ten$ion

Escrito por em 10/12/2012


“I fink u freeky and I like u a lot”. Talvez seja este o refrão que defina o grupo sul-africano, Die Antwoord. Causa estranhamento, incomoda o ouvinte, o espectador de seus vídeos, assusta ao mesmo tempo que impressiona, é uma relação paradoxal, difícil de explicar.

Composto por Ninja, Yo Landi Vi$$er e Dj Hi-tek, os três personagens fazem do grupo uma experiência testada anteriormente, mas nem por isso menos inovadora.

Ninja e Yo Landi já deram indícios que, sim, são alteregos artísticos de suas próprias personalidades, no entanto, como o próprio Ninja disse “ele é como o superman e Clark Kent, a diferença é que nunca tira a merda de fantasia de super-herói”, ele passa a impressão que mantém a imagem todo o dia, e o mesmo acontece com Yo Landi e isto, claro, contribui para a propaganda e marketing da atmosfera bizarra que criam em torno de si. Dj Hi-tek, o responsável pelos arranjos musicais e as batidas pesadas que emergem de referências do afro-beat, é um mistério: não se sabe se é um mesmo artista ou um conjunto de vários que revezam entre si, contribuindo ainda mais para a imagem freak que o grupo cultiva.

 Ten$ion é o segundo álbum do grupo (se descartarmos o lançamento revisado do primeiro álbum, $o$) que dá visibilidade ao trio sul-africano, projetando-os no mundo.

Com rimas rápidas e irônicas, cantadas em inglês e dialetos da África do Sul, o Die Antwoord ( “A Resposta” em africâner) tem no hip-hop e suas variantes a grande característica que os define. A diferença é que este hip-hop alucinado é feito de maneira inovadora, em que a imagem já cultivada de “estranhos” é mais um complemento. O sotaque, por exemplo, da dupla de vocalistas é arrastado, meio arranhado e único, assim como a pronúncia de algumas palavras do inglês. “Think” vira “Fink”, com “F” mesmo, sem o som do “th”, por exemplo, e a cada música executada no disco o ouvinte se surpreende mais.

 A faixa “I Fink u Freeky” e o vídeo definem a que veio o grupo, no estilo cru e “assustador” que podem ser. “Fatty Boom Boom”, outro single com um videoclipe bem humorado que satiriza a figura da Lady Gaga, incomoda um pouco com o vocal agudo de Yo Landy, mas é envolvido por uma massa sonora pesada e a percussão nos carrega junto as rimas rápidas, sendo uma combinação interessante. “Baby’s On Fire” vem eletrônica e dançante (como grande parte do álbum) mas os sintetizadores e a batidinha recorrente e quase óbvia dá “algo a mais” a música, destacando-a no todo.

Ten$ion é composto de 13 excelentes faixas (um número relativamente alto na era dos EP’s) cada qual com seu lugar no álbum, sem tirar nem pôr. O Die Antwoord, junto da imagem propositalmente bizarra, os vídeos ousados e a música de qualidade se configura como o que Lady Gaga sempre quis ser e não foi capaz.

Diego Paulino

Estagiário em Programação musical

 

A seguir, a lista de músicas que você ouve de segunda a sexta às 15h45, na Rádio UFSCar:

segunda-feira

01. Never Le Nkemise 1

02. I Fink U Freeky

terça-feira

03. Pielie04. Hey Sexy

05. Fatty Boom Boom

quarta-feira

06. Zefside Zol (Interlude)

07. So What?

quinta-feira

08. Uncle Jimmy

09. Baby’s On Fire

10. U Make A Ninja Wanna Fuck

sexta-feira

11. Fok Julle Naaiers

12. DJ Hi-Tex Rulez

13. Never Le Nkemise 2

 


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA