Anna Calvi – One Breath

Escrito por em 14/10/2013

Logo no começo de 2011, numa manhã de um quente e chuvoso dia de verão tropical, encontrei na rede um dos muitos blogs focados no lado mais undeground das produções independentes. O destaque era o disco de estreia de uma cantora e composidora inglesa com um nome italiano: Anna Calvi.

Movido pela curiosidade li as poucas linhas que diziam que o trabalho dela era muito elogiado pelo Brian Eno, que se tornou o seu mentor, e até pelo Nick Cave, que a quis na abertura de alguns dos seus shows.

Com essas premissas não tive dúvida, escutei o disco com a maior curiosidade e para a minha surpresa me deparei com um álbum de rara intensidade lírica e sonora, que superava de longe as minhas expectativas. Escrevi uma resenha na qual não economizei elogios à voz profunda e potente dela, assim como às composições, destacando uma linda e extrema versão de Jezebel, música que se tornou famosa na interpretação da Edith Piaf nos anos 50, com a qual Anna Calvi se apresentou ao mercado. Depois de quase três anos estou de volta aqui na frente do teclado ouvindo e escrevendo sobre o trabalho recém-lançado de uma das cantoras que mais consegue me emocionar.

O disco abre com o primeiro single “Suddenly” e na sequência “Eliza”, do ponto de vista comercial, escolhas perfeitas, são as faixas mais acessíveis do álbum e que lembram muito o primeiro disco. No entanto, encontramos a verdadeira essência em músicas como “Carry Me Over”, na qual em cima de uma textura melódica e percussiva hipnótica, guitarras e violinos disputam a nossa atenção. Em “Bleed Into Me”, somos arrastados numa viagem romântica e obscura, guiados pela voz forte e segura de quem tem a coragem de caminhar pela trilhas sombrias das nossas almas.

Na faixa título a voz rouca, gótica e sensual de Anna Calvi se faz estrada num crescendo levando-nos até o momento em que surge, repentinamente, uma improvável sessão de cordas que sublima a tensão lírica inicial. Na sucessão, a áspera “Love of My Life”, a artista não esconde o seu lado mais noise e selvagem, traço  pelo qual é frequentemente comparada a  PJ Harvey.

Mais uma vez Anna Calvi conseguiu me surpreender, com seu talento natural poderia muito bem ter escolhido um caminho mais lucrativo sem perder a qualidade, mas a sua paixão é autêntica. Reconheço o caráter intimista das músicas, mas ela não fala só de si mesma e consegue alcançar um pequeno pedacinho que cada um de nós guarda dentro de si, como um suspiro.

Do ponto de vista técnico estamos frente a um trabalho que demorou um ano para ser escrito e foi gravado em duas semanas, extremamente mais rico se comparado ao precedente, no qual a música era quase minimalista, com poucos instrumentos, mas tocados com muita intensidade, enquanto em One Breath uma nova gama de sonoridades é explorada, deixando o  inspirado trabalho da Anna Calvi ainda mais impactante, além de  manter as características originais.

Confira  algumas faixas do disco.

Paz!

Mauro Lussi
Coordenador de Programação musical e DJ da Rádio UFSCar.

A seguir, a lista de músicas que você escuta de segunda a sexta às 15h45, na Rádio UFSCar.

segunda-feira
1. Suddenly
2. Eliza
3. Piece By Piece
terça-feira
4. Cry
5. Sing to Me
quarta-feira
6. Tristan
7. One Breath
quinta-feira
8. Love of My Life
9. Carry Me Over
sexta-feira
10. Bleed Into Me
11. The Bridge

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA