Disco da Semana

Escrito por em 12/02/2019

Um clássico da Rádio UFSCar volta ao ar e apresenta um clássico da música brasileira. De segunda à sexta, às 15h, com Vanessa Torres.

Disco da Semana #7 – Canto Por Um Novo Dia

Capa do álbum Canto por um Novo Dia, de Beth Carvalho, lançado em 1973.

Nosso último Disco da Semana é também uma homenagem ao carnaval e a semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher. Canto por um Novo Dia, lançado em 1973 por Beth Carvalho, é um dos álbuns mais aclamados da célebre cantora e compositora de samba, uma das mais importantes do gênero.

Canto por um Novo Dia é o seu sexto álbum de estúdio, mas o primeiro em que ela entra definitivamente no universo do samba. O disco foi produzido por José Xavier, e é considerado um disco com muita elegância, lirismo e um pouco de melancolia. Nesses três dias pós-Carnaval, o Disco da Semana apresenta curiosidades e faixas do álbum que tem clássicos do samba como Hora de Chorar e Folhas Secas.

Disco da Semana #6 – Vivendo e Não Aprendendo

Capa do álbum Vivendo e Não Aprendendo, do Ira!, lançado em 1986.

Nosso penúltimo Disco da Semana é um clássico do rock oitentista brasileiro, lançado pelo grupo Ira! em 1986, Vivendo e Não Aprendendo.

O álbum foi lançado pelo selo WEA em agosto de 1986, e gravado no mesmo ano no estúdio Nas Nuvens, na cidade do Rio de Janeiro e no estúdio Brodway, em São Paulo. Vivendo e Não Aprendendo é considerado por fãs e especialistas o melhor disco do Ira! e o melhor álbum brasileiro da década de 1980. Também foi o álbum mais popular da banda até o lançamento do Acústico MTV em 2004.

Vivendo e Não Aprendendo tem 48 minutos, encaixa-se no gênero de pós-punk e rock alternativo, e gerou grandes sucessos como Dias de Luta e Flores em Você.

Acompanhe ao longo desta semana, de 25/2 até 01/3, estas e outras curiosidades de mais este clássico da música nacional.

Disco da Semana #5 – Samba Esquema Noise

Capa do álbum Samba Esquema Noise, lançado em 1994.

Nosso quinto Disco da Semana é o aclamadíssimo Samba Esquema Noise, álbum de estreia do grupo recifense Mundo Livre S/A. O álbum, que faz aceno no título ao disco Samba Esquema Novo de Jorge Ben Jor (1963), traz uma grande efervescência de ritmos, como o samba, o rock e o punk e vários ritmos regionais, o que vai caracterizar o disco como um exemplo grande do manguebeat.

Samba Esquema Noise foi apenas o segundo álbum lançado pelo selo Banguela Records, criado em parceria dos Titãs com Carlos Alberto Miranda. Embora o álbum tenha sido um sucesso de crítica, sendo considerado por muitos o som brasileiro definitivo dos anos 1990, Samba Esquema Noise não chegou a fazer impacto com o público de vendas.

O álbum teve alguns relançamentos (em CD e vinil) e entrou para a lista de Melhores discos brasileiros de todos os tempos, segundo a Rolling Stone Brasil. O Mundo Livre S/A trouxe ainda vários convidados para essa estreia: Nasi, do Ira!, Nando Reis, Paulo Miklos e Charles Gavin, dos Titãs, a atriz Malu Mader, o rapper Sérgio Boneka e vários integrantes do Nação Zumbi.

Acompanhe esta semana essas e outras curiosidades sobre este clássico do Mundo Livre S/A no Disco da Semana.

Disco da Semana #4 – Elis & Tom


Capa do álbum Elis & Tom, lançado em 1974.

Nesta quarta semana, Vanessa Torres apresenta o clássico Elis & Tom, de Elis Regina e Tom Jobim, lançado em 1974, no Disco da Semana.

O álbum foi gravado nos meses de fevereiro e março daquele mesmo ano em estúdios em Los Angeles, nos Estados Unidos e marca o primeiro encontro de dois dos maiores nomes da música brasileira. Com clássicos como Corcovado  e Águas de Março, Elis & Tom também inova ao incorporar a guitarra elétrica aos instrumentos-base da bossa nova. O álbum também conta com arranjos do então marido de Elis Regina, César Camargo Mariano e produção Aloísio de Oliveira.

Considerado um dos maiores clássicos da música brasileira, Elis & Tom é também um dos discos nacionais mais vendidos de todos os tempos e sempre desfrutou de críticas positivas, desde o seu lançamento, até os seus relançamentos em 1990 (em CD) e em 2004 (versão remasterizada).

Entre outras curiosidades, Águas de Março já foi apontada como a segunda “maior” canção brasileira de todos os tempos, atrás apenas de Construção de Chico Buarque.

Acompanhe esta semana Elis & Tom, de segunda à sexta, às 15h, no Disco da Semana.

Disco da Semana #3 – África Brasil

Jorge Ben - África Brasil

Capa do álbum África Brasil, lançado em 1976.

Na terceira semana do Disco da Semana, Vanessa Torres apresenta África Brasil, décimo quarto álbum de estúdio de Jorge Ben Jor, lançado em 1976.

Depois de um hiato de seis anos, Jorge Ben lança o álbum, considerado grande marco na sua carreira e apogeu de suas experimentações com música afro-brasileira e música norte-americana, principalmente dos ritmos soul e funk. É também o álbum que consolida o uso de guitarra elétrica no repertório de Jorge Ben, além de explorar diversos instrumentos tipicamente afrobrasileiros de percurssão, como a cuíca, o atabaque e o pandeiro.

África Brasil conta com a participação de músicos importantes do cenário nacional, como o produtor musical Marco Mazzola, que já havia trabalhado até o momento com Raul Seixas e Rita Lee e em 1976, ainda produziria álbuns de Elis Regina e Belchior.Á

África Brasil possui uma sonoridade mais pop que os álbuns anteriores de Jorge Ben e rendeu clássicos da música nacional como Taj Mahal e Xica da Silva, além da própria faixa-título. O álbum foi considerado um dos discos “mais legais do mundo” pela Rolling Stone e um dos melhores discos nacionais de todos os tempos pela Rolling Stone Brasil.

Disco da Semana #2 – Roberto Carlos em Ritmo de Aventura

Capa do álbum Roberto Carlos em Ritmo de Aventura, de Roberto Carlos, lançado em 1967.

Na segunda semana do Disco da Semana, Vanessa Torres apresenta um clássico de Roberto Carlos, o Roberto Carlos em Ritmo de Aventura, lançado em 1967 e que serve também como trilha sonora do filme homônimo dirigido por Roberto Farias.

O LP é o oitavo álbum de estúdio de Roberto Carlos e traz uma forte influência do rock’n’roll dos Beatles e sua versão brasileira, o iê iê iê. O Disco da Semana apresenta diversas faixas do álbum, que vai muito além dos clássicos Eu sou Terrível e Como é grande o meu amor por você.

Não perca esse clássico que é listado como um dos melhores álbuns da música brasileira.

Disco da Semana #1 – Tropicália ou Panis et Circencis

Capa do álbum Tropicália ou Panis et Circencis, álbum colaborativo lançado em 1968.

Na semana de estreia do Disco da Semana, apresentamos o clássico Tropicália ou Panis et Circencis, álbum coletivo lançado em 1968 e marco do movimento tropicalista.

O álbum reúne grandes nomes da MPB que se estabeleciam como potências nacionais no período, como Caetano Veloso, Gal Costa, Gilberto Gil, Os Mutantes, Nara Leão e Tom Zé. Ainda conta com a colaboração dos poetas Capinam e Torquato Neto e do maestro Rogério Duprat.

Ao longo da semana você confere doses diárias com curiosidades da gravação e das canções do Disco da Semana.


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA