Mustache e os Apaches

Escrito por em 17/11/2015

A Mustache & os Apaches foi formada, em janeiro de 2011[1] , pelos gaúchos Pedro Pastoriz (voz, violão e banjo), Tomás Oliveira (voz e baixo), Axel Flag (voz e percussão), Jack Rubens (bandolim) e pelo mineiro Lumineiro (washboard, um instrumento que lembra uma tábua de lavar roupa). Os integrantes se conheceram em Porto Alegre, tendo em comum experiências circenses. Entretanto, a banda se formou musicalmente no bairro dos Perdizes de São Paulo, em um casa apelidada de Brick House. Dos cinco integrantes, quatro moravam no local, além de utilizar o espaço para compor suas músicas.[2]

A banda começou tocando nas ruas. Conforme a Revista do Bairro: “Tudo começou meio despretensiosamente, com um jazz ao piano que embalava os almoços do coletivo. Até que um dia Shapperd teve uma ideia. Por que não sair por aí tocando música de boa qualidade? Em retribuição passariam o chapéu em busca de alguns trocados agradecidos”. [3] Em pouco tempo foram convidados a tocar em locais fechados, com a vantagem de dispor de energia elétrica. Como descreveu Jack Rubens, a “[…] logística impõe algumas coisas. A eletricidade, por exemplo, que a gente não usava na rua. Mas é uma boa escola. Acho que, quando a gente tá no palco, o que mais ajuda que a gente pegou da rua foi o entrosamento com público”.[4]

Em 2012, a banda começou a participar de festivais independentes, o que fez com que sua música atingisse um público ainda maior. Um dos maiores nesse ano foi o All Folks no Centro Cultural Rio Verde (São Paulo). O show começou e encerrou com uma marca registrada da banda nesses eventos, que é tocar no meio da audiência, antes de subir no palco. Devido a essa peculiaridade, ao carisma da banda e aos instrumentos inusitados, o show foi animado e considerado pela plateia como “excêntrico”. [5]

No dia 14 de junho de 2012, a banda lançou o seguinte manifesto em seu blog oficial: “Vivemos em sociedade, compartilhamos o espaço e principalmente o espaço público. Que por sua vez é de responsabilidade de todos. Se desejamos ruas mais limpas, é nossa obrigação não sujá-las, se queremos um transito mais fluido podemos ser mais educados, ou talvez sair mais de bicicleta e menos de carro. Se queremos uma cidade mais agradável devemos cuidar dela.
Nós escolhemos fazer música pelas ruas. Optamos por pegar as pessoas de surpresa e transformar a rotina delas. A arte proporciona um ambiente mais prazeroso, mais vivo. A arte influencia diretamente no cotidiano de uma cidade. Ver cores, ouvir música, dançar modifica o clima. Onde as pessoas estão voltadas à produzir arte ou são envolvidas por ela não há violência. O Brasil é um país que produz muita arte genuína, nossa cultura popular é riquíssima e linda. Somos livres para apresentar nosso trabalho pelas ruas e essa é nossa maneira de contribuir para uma cidade mais agradável, para um país melhor”

Na segunda metade de 2012, a banda ainda participou das gravações dos filmes alternativos Modo Ave (de Beto Brant e Lu Brites) e Absurdo Fantástico (de Cisco Vasques), e da novela global Cheias de Charme[6] . Ainda arranjou um espaço na agenda para gravar, em outubro de 2012, as músicas do seu primeiro álbum no Estúdio.

No início de 2013, a banda realizou uma turnê pela Europa com o apoio do Ministério da Cultura, através do edital de intercâmbio cultural. Ao total foram 20 shows, sendo que oficialmente havia sido marcado apenas 18. A banda alugou uma van, e cruzou de oeste a leste o velho mundo, passando pelo interior da Bélgica, Londres, Paris[1] , além de Berlim, Praga, Gent, Antuérpia, Zult e Istambul.

No segundo semestre, a banda participou de festivais importantes no cenário independente: Morrostock (12 de outubro) e Macondo Circus (14 de dezembro) , além de um show no SESC Vila Mariana. Em outubro, a banda lançou o seu primeiro álbum, homônimo, lançado pela Big Papa Record . O disco é composto de 11 faixas, sendo uma delas cover de Just a Gigolo (também conhecida apenas por Gigolo), originalmente composta no final dos anos 20 e que recebeu várias versões. O álbum foi disponibilizado para baixar[9] e teve uma boa recepção pela crítica. O lançamento do disco foi realizado no dia 08 de dezembro de 2013, no Auditório Ibirapuera, em São Paulo .

Em 2014, a banda recebeu uma cobertura maior da mídia de massa. Dentre os grandes shows, destacam-se os realizados nos dias 10 à 12 de abril no palco do teatro da Caixa Cultural de Recife. No dia 10 de maio a banda fez as gravações do seu primeiro DVD na praça Victor Civita, zona Oeste de São Paulo e participou da Virada Cultural de 2014 no Sesc Consolação, entre os dias 17 e 18 de maio, ao lado de Karina Buhr.

Página oficial

facebook

fonte: wikipedia


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Continue lendo

Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA