Lucas Santtana

Escrito por em 05/05/2015

Lucas Santtana (Salvador, 18 de outubro de 1970) é um cantor, compositor e produtor brasileiro.
Filho do produtor musical e tropicalista Roberto Sant’Ana, graças ao pai cresceu no meio artístico, frequentando a casa de Caetano Veloso entre outros; seu pai é primo do cantor e compositor Tom Zé.

Seus instrumentos são a guitarra e o violão, mas também toca flauta transversa, baixo e cavaquinho. Como instrumentista colaborou com Chico Science e Nação Zumbi, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Marisa Monte. Suas músicas já foram gravadas por nomes como Céu, Marisa Monte e Arto Lindsay. Tem canções nas trilhas sonoras de filmes como Deus é Brasileiro, de Cacá Diegues, e Surf Adventure 2, de Roberto Moura, e assina a trilha do longa-metragem de animação Morte e Vida Severina, ao lado de Rica Amabis, e do monólogo O Bispo, encenado pelo ator João Miguel. Ao lado do diretor Bruno Barreto e de Gal Costa, Santtana assinou a direção musical do projeto Trilhando, que uniu música e cinema no SESC Pompéia. Dirigiu também o show Re:mixando Tom Zé, com suas versões para músicas do compositor.

Seu quarto CD, Sem Nostalgia, foi lançado pela gravadora Mais um Discos na Europa em 2011. Tocou no Barbican Theater, em Londres, e participou do programa de rádio Worldwide, do DJ de nu jazz Gilles Peterson, transmitido para mais de 20 países, com cerca de meio milhão de ouvintes a cada semana.

Sem Nostalgia angariou 3,5 estrelas na revista Rolling Stone americana. O disco ficou em primeiro lugar no Top-5 de World Music no site da Womex 2011, foi indicado ao German Critic Awards (prêmio que equivale ao APCA na Alemanha) e ao Songlines Music Awards (Grã-Bretanha). Ficou seis meses no Top 3 da WMCE, World Music Charts Europe, associação de radialistas que abrange 12 países da Europa. Foi eleito o melhor disco estrangeiro de 2011 pelo jornal francês Libération e o sexto melhor disco do ano pela revista francesa Les Inrockuptibles.

No Brasil o disco foi eleito pela revista Bravo! como um dos 10 CDs fundamentais para entender a música brasileira na primeira década do século XXI. Também foi incluído na lista de 10 melhores do ano nos jornais Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, O Globo, da edição brasileira da Rolling Stone e diversos blogs especializados em música.

Em 2012, Lucas Santtana lançou seu quinto disco, O deus que devasta mas também cura. Foram 10 faixas unidas por camadas orquestrais de Letieres Leite, Gui Amabis, Guizado, Gilberto Monte, Rica Amabis e pelo próprio Santana, que também assinou a produção, e samples de Beethoven, Ravel e Debussy.

Além de oito faixas autorais e em parceria, o trabalho trouxe uma versão em português para This is Not The Fire, da banda inglesa My Tiger My Timing, e uma releitura de Músico, de Tom Zé, Herbert Vianna e Bi Ribeiro. As gravações contaram com participações de Céu, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, Curumin, Kassin, Gustavo Ruiz, Gui Amabis, Guizado, Maurício Fleury (Bixiga70), Marcos Gerez (Hurtmold), Rica Amabis e Josué Santtana, filho de Lucas.

Página oficial

Facebook

fonte: wikipedia


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Continue lendo

Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA