Neuropsicologia expande sua atuação e demanda novos profissionais

Escrito por em 11/07/2018

Neuropsicologia expande sua atuação e demanda novos profissionais

A Neuropsicologia, área da ciência que estuda as relações entre cérebro e o comportamento, tem buscado melhorar a qualidade de vida de pacientes com Alzheimer, Parkinson, Paralisia Cerebral, dos que sofreram sequelas de Acidente Vascular Cerebral, Traumatismo Craniano, e também de autistas e pessoas que têm Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, dentre outros. Segundo o professor Sergio Silva, docente do Departamento de Psicologia da UFSCar, a Neuropsicologia tem expandido sua atuação com o aumento da expectativa de vida e com a evolução das tecnologias para inclusão.

A reabilitação neuropsicológica busca encontrar a força que estimula o potencial do cérebro humano em casos de doenças, lesões, privação de sono ou envelhecimento, para incentivar a inclusão social, a autoestima e a integração familiar, explica o especialista. Sergio conta que não há limites para o desenvolvimento do cérebro humano. “Ele responde a estímulos externos como treino, aprendizagem e atividade física e, assim, pode se modificar”, afirma o professor.

O docente relata ainda que o trabalho terapêutico na reabilitação neuropsicológica é complementar ao tratamento com remédios e pode funcionar como prevenção ou ação reparadora. “Para propor um programa terapêutico de reabilitação, os especialistas em neuropsicologia trabalham as habilidades e principais desafios do paciente para estimular suas prontidões e compensar as dificuldades”, explica o pesquisador.

Para capacitar profissionais graduados nas áreas de Educação e Saúde a atuarem com este tipo de tratamento, está aberto, até o dia 30 de julho, o período de inscrições para a 3ª turma do Curso de Especialização em Reabilitação Neuropsicológica da UFSCar. A pós-graduação ensina tópicos básicos para o atendimento da criança ao Idoso, do diagnóstico ao tratamento.

Com aulas presenciais e didáticas, são abordados o funcionamento do cérebro, doenças da infância e do envelhecimento, além de memória, linguagem e qualidade de vida, dentre outros temas. A especialização ainda oferece a oportunidade de seus alunos vivenciarem a prática clínica, via online ou presencial. Os encontros acontecem uma vez por mês, nos finais de semana, e começam em agosto. As vagas são limitadas. Mais informações em www.dpsi.ufscar.br.

Saiba mais ouvindo o podcast do Rádio UFSCar Notícias – edição da tarde de 11 de julho

 


Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA