Guilherme Kastrup – Kastrupismo

Escrito por em 24/03/2014

Não poderia imaginar melhor maneira de ilustrar a música de Kastrupismo do que  sua capa. Espécie de colagem-desconstrução do próprio rosto do artista, a imagem canaliza todo o conceito por trás do álbum de estreia do veterano baterista, percussionista e produtor musical Guilherme Kastrup.

O ouvinte comum pode até não reconhecer o nome, mas certamente já ouviu um pouquinho de Kastrup por aí: o instrumentista/produtor já contribuiu com Adriana Calcanhoto, Vanessa da Mata, Chico César, Arnaldo Antunes, Chico Lobo e Zeca Baleiro, e carrega toda essa bagagem num trabalho solo que transcende qualquer barreira criativa.

Inventivo, Kastrupismo é único na forma como concebe suas faixas. Utilizando-se do método da “reciclagem de áudios” (termo cunhado pelo próprio artista), Kastrup recorta, cola, subverte e modifica sons originalmente captados com um motivo para a criação de um outro produto musical.

kastrup

Qualquer mente sã imaginaria – compreensivelmente – que essa ideia estaria fadada ao caos,mas nas mãos de Guilherme Kastrup essa mistura deu liga. Com produção minuciosamente detalhada, as faixas de Kastrupismo mantêm certos aspectos da colagem, mas fluem de forma orgânica, no que lembra as experimentações sonoras do projeto eletrônico de Thom Yorke, o Athoms for Peace. As composições caem com uma leveza quase pop aos ouvidos. Os destaques são as músicas “Tá Maluco, Rapaz” (que conta com um sample do Cartola) e “Perdidos”, mas pra entender mesmo o disco, tem que ouvi-lo na íntegra, Kastrupismo é daqueles álbuns de sentir.

Portanto, esqueçam rótulos. Contemplativo ou dançante, experimental ou pop, orgânico ou eletrônico, instrumental ou não; a obra de Guilherme Kastrup é tudo isso ao mesmo tempo e muito mais. Aliás, não esqueçam de conferir o projeto ao vivo, é realmente impressionante ver faixas tão peculiares sendo montadas ali, na hora.

Henrique Gentil

Bolsista de Programação musical.

A seguir, a lista de músicas que você confere de segunda a sexta, às 9h45 na rádio UFSCar.

Segunda-feira
1. Vento Bom
2. Brisa Breve (Vinheta)
Terça-feira
3. Marcela, Cheguei
4. O Corpo
Quarta-feira
5. Tá Maluco, Rapaz
6. Texto
Quinta-feira
7. Perdidos
8. A Vida É Assim (Vinheta)
9. OOHH
Sexta-feira
10. Frevano
11. Penhasco (Vinheta)
12. No Fim

Marcado como

Opinião dos Leitores

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos Obrigatórios *


Rádio UFSCar

Tocando agora
TITULO
ARTISTA